terça-feira, 1 de janeiro de 2008

Letras Traduzidas - Dance Of Death (2003)

(2003)

Bruce Dickinson – Vocal

Dave Murray – Guitarra
Adrian Smith – Guitarra e Vocal
Janick Gers – Guitarra

Steve Harris – Baixo e Vocal
Nicko McBrain – Bateria

Produzido por Kevin ‘Caveman’ Shirley, co produzido por Steve Harris, mixado e projetado por Kevin Shirley
Gravado nos estúdios Sarm West, Londres, Inglaterra, Janeiro, Fevereiro, Março e Abril de 2003
Lançado em 8 de Setembro de 2003

Wildest Dreams (Adrian Smith/Steve Harris)
I'm gonna organise some changes in my life. I'm gonna exorcise the demons of my past
I'm gonna take the car and hit the open road. I'm feeling ready to just open up and go

And I just feel I can be anything that I might ever wish to be
And fantasize just what I want to be - Make my wildest dreams come true

I'm on my way, out on my own again
I'm on my way, out on the road again

When I remember back to how that things just used to be and I was stuck inside a shroud of misery
I felt I'd disappeared so deep inside myself. I couldn't find a way to break away the hell

When I'm feeling down and low, I vow I'll never be the same again
I just remember what I am and visualize just what I'm gonna be

I'm on my way, out on my own again
I'm on my way, I'm gonna breakaway

I'm gonna breakaway, I’m out on my own
I’m out on my own…gonna breakaway…break it away!

I'm on my way, out on my own again
I'm on my way, out on the road again

I'm on my way, out on my own again
I'm on my way, I'm gonna breakaway

Os Sonhos Mais Selvagens (Adrian Smith/Steve Harris)
Eu vou organizar algumas mudanças em minha vida. Eu vou exorcizar os demônios do meu passado
Eu vou pegar o carro e cair na estrada. Eu me sinto pronto pra ligar o motor e simplesmente ir

Eu sinto que posso ser qualquer coisa que possa ter desejado ser algum dia
E fantasiar exatamente o que eu quero ser – Fazer meus sonhos mais selvagens se tornarem realidade

Eu estou no meu caminho, na minha de novo
Eu estou no meu caminho, na estrada de novo

Quando eu me lembro de como as coisas costumavam ser lá atrás e eu estava enfiado num santuário de miséria
Eu sentia que tinha desaparecido bem lá dentro de mim mesmo. Eu não conseguia encontrar um jeito de sair daquele inferno

Quando eu me sinto na pior, eu faço um voto de que eu nunca mais serei o mesmo de novo
Eu me lembro na hora do que eu sou e visualizo exatamente o que vou ser

Eu estou no meu caminho, na minha de novo
Eu estou no meu caminho, eu vou pisar fundo

Eu vou pisar fundo, eu estou na minha
Eu estou na minha...vou pisar fundo...quebrar essa rotina!

Eu estou no meu caminho, na minha de novo
Eu estou no meu caminho, na estrada de novo
Eu estou no meu caminho, na minha de novo
Eu estou no meu caminho, eu vou pisar fundo


Rainmaker (Dave Murray/Steve Harris/Bruce Dickinson)
When I was wandering in the desert and I was searching for the truth
I heard a choir of angels calling out my name
I had the feeling that my life would never be the same again
I turned my face towards the barren sun

And I know of the pain that you feel the same as me. And I dream of the rain, as it falls upon the leaves
And the cracks in our lives like the cracks upon the ground. They are sealed and are now washed away

You tell me we can start the rain. You tell me that we all can change
You tell me we can find something to wash the tears away
You tell me we can start the rain. You tell me that we all can change
You tell me we can find something to wash the tears...

And I know of the pain that you feel the same as me. And I dream of the rain, as it falls upon the leaves
And the cracks in the ground like the cracks are in our lives. They are sealed and are now far away

You tell me we can start the rain. You tell me that we all can change
You tell me we can find something to wash the tears away
You tell me we can start the rain. You tell me that we all can change
You tell me we can find something to wash the tears...

You tell me we can start the rain. You tell me that we all can change
You tell me we can find something to wash the tears away
You tell me we can start the rain. You tell me that we all can change
You tell me we can find something to wash the tears...

And I know of the pain that you feel the same as me. And I dream of the rain, as it falls upon the leaves
And the cracks in the ground like the cracks are in our lives. They are sealed and are now far away

Aquele Que Faz Chover (Dave Murray/Steve Harris/Bruce Dickinson)
Quando eu estava vagando pelo deserto e estava procurando pela verdade
Eu ouvi um coro de anjos chamando pelo meu nome
Eu sentia que minha vida jamais seria a mesma de novo
Eu virei meu rosto em direção ao sol estéril

E eu sei da dor que você sente que nem eu. E eu sonho com a chuva, enquanto ela cai sobre as folhas
E as rachaduras em nossas vidas são como as que estão sobre o chão. Elas estão seladas e agora são levadas pela água

Você me diz que nós podemos começar a chuva. Você me diz que todos nós podemos mudar
Você me diz que nós podemos encontrar alguma coisa pra lavar as lágrimas pra longe
Você me diz que nós podemos começar a chuva. Você me diz que todos nós podemos mudar
Você me diz que nós podemos encontrar alguma coisa pra lavar as lágrimas...

E eu sei da dor que você sente que nem eu. E eu sonho com a chuva, enquanto ela cai sobre as folhas
E as rachaduras no chão são como as que estão sobre nossas vidas. Elas estão seladas e bem longe agora

Você me diz que nós podemos começar a chuva. Você me diz que todos nós podemos mudar
Você me diz que nós podemos encontrar alguma coisa pra lavar as lágrimas pra longe
Você me diz que nós podemos começar a chuva. Você me diz que todos nós podemos mudar
Você me diz que nós podemos encontrar alguma coisa pra lavar as lágrimas...

Você me diz que nós podemos começar a chuva. Você me diz que todos nós podemos mudar
Você me diz que nós podemos encontrar alguma coisa pra lavar as lágrimas pra longe
Você me diz que nós podemos começar a chuva. Você me diz que todos nós podemos mudar
Você me diz que nós podemos encontrar alguma coisa pra lavar as lágrimas...

E eu sei da dor que você sente que nem eu. E eu sonho com a chuva, enquanto ela cai sobre as folhas
E as rachaduras no chão são como as que estão sobre nossas vidas. Elas estão seladas e bem longe agora


No More Lies (Steve Harris)
There's a darkening sky before me. There’s no time to prepare
Salvage a last horizon, but no regrets from me
Maybe I'll be back some other day to live again, just who can say
In what shape or form that I might be? Just another chance for me

A hurried time - No disgrace, instead of racing to conclusion
And wishing all my life away - No one can stop me now
Time is up - It couldn’t last, but there's more things I'd like to do
I'm coming back to try again someday, maybe, I'll wait till then

No more lies.
No more lies
No more lies. No more lies

They're all sitting at my table talking tall and drinking wine
Their time is up just like me, but they just don’t know it yet
So just a word of warning - When you're in your deepest dreams
There's nothing you can hide from. I've got my eye on you

The clock is fast, the hour is near. Eventful past is everclear
My life is set, the time is here - I think I'm coming home

No more lies.
No more lies
No more lies. No more lies
No more lies. No more lies
No more lies.
No more lies

A hurried time - No disgrace, instead of racing to conclusion
And wishing all your life away - No one can stop me now
Time is up - It couldn’t last, but there's more things I have to do
I'm coming back to try again – Don’t tell me that this is the end

No more lies.
No more lies
No more lies. No more lies
No more lies. No more lies
No more lies...No more lies…

No more lies…

Chega De Mentiras (Steve Harris)
Tem um céu que está escurecendo diante de mim. Não há tempo para se preparar
Contemplo um último horizonte, mas nenhum arrependimento de minha parte
Talvez eu volte algum outro dia para viver de novo, mas quem pode dizer
De que jeito ou forma eu possa estar? Só uma outra chance pra mim

Um tempo curto – Sem desgraças, ao invés de fazer julgamentos antes do tempo
Passei minha vida toda pensando – Ninguém pode me parar agora
O tempo acabou – Ele não poderia durar, mas tem mais coisas que eu gostaria de fazer
Eu estou voltando para tentar de novo, algum dia talvez, eu vou esperar, mas até lá...

Chega de mentiras. Chega de mentiras
Chega de mentiras. Chega de mentiras

Eles estão todos sentados a minha mesa, falando alto e tomando vinho
O tempo deles acabou assim como o meu, mas só que eles não sabem ainda
Então só um aviso – Quando você estiver nos seus sonhos mais profundos
Não há nada do que você possa se esconder. Eu tenho meu olho em você

O relógio está rápido, a hora está perto – O passado glorioso cada vez mais claro
Minha vida está terminada, a hora chegou – Eu acho que estou indo pra casa

Chega de mentiras. Chega de mentiras
Chega de mentiras. Chega de mentiras
Chega de mentiras. Chega de mentiras
Chega de mentiras. Chega de mentiras

Um tempo curto – Sem desgraças, ao invés de fazer julgamentos antes do tempo
Passei minha vida toda pensando – Ninguém pode me parar agora
O tempo acabou – Ele não poderia durar, mas tem mais coisas que eu tenho que fazer
Eu estou voltando para tentar de novo – Na me diga que este é o fim

Chega de mentiras. Chega de mentiras
Chega de mentiras. Chega de mentiras
Chega de mentiras. Chega de mentiras
Chega de mentiras...Chega de mentiras...

Chega de mentiras...


Montségur (Janick Gers/Steve Harris/Bruce Dickinson)
I stand alone in this desolate space - In death, they are truely alive
Massacred innocence, evil took place - The angels were burning inside
Centuries later, I wonder why what secret that they took to their grave?
Still burning heretics under our skies - Religion's still burning inside

At the gates and the walls of Montségur - Blood on the stones of the citadel (4x)

As we kill them all, so God will know his own, the innocents died for the pope on his throne
Catholic greed and its paranoid zeal, curse of the grail and the blood on the cross
Templar believers with blood on their hands, joined in the chorus to kill on demand
Burned at the stake for their soul's liberty, to stand with the Cathars to die and be free

The book of old testament crippled and black - Satan his weapon is lust

Living this evil damnation of flesh, back to the torture of life
The Perfect would willingly die at the stake and all of their followers slain
As for the knowledge of God they had claimed - Religion's still burning inside

At the gates and the walls of Montségur - Blood on the stones of the citadel (4x)

As we kill them all, so God will know his own, the innocents died for the pope on his throne
Catholic greed and its paranoid zeal, curse of the grail and the blood on the cross
Templar believers with blood on their hands, joined in the chorus to kill on command
Burned at the stake for their soul's liberty – Still burning heretics under our skies

As we kill them all so God know his own - Laugh at the darkness and in God we trust
The eye of the triangle smiling with sin, no passover feast for the cursed within
Facing the sun as they went to their grave - Burn like a dog or you live like a slave
Death is the price for your soul's liberty, to stand with the Cathars and to die and be free

At the gates and the walls of Montségur - Blood on the stones of the citadel
At the gates and the walls of Montségur - Blood on the stones of the citadel
At the gates and the walls of Montségur - Blood on the stones of the citadel
At the gates and the walls of Montségur - Blood on the stones of the citadel

Montségur (Janick Gers/Steve Harris/Bruce Dickinson)
Eu fico sozinho nesse lugar desolado – Na morte, eles verdadeiramente vivem
Inocentes massacrados, o mal tomou conta – Os anjos estavam queimando por dentro
Séculos mais tarde, eu me pergunto que segredos eles levaram para seus túmulos
Ainda queimando hereges sob nossos céus – A religião ainda queima por dentro

Nos portões e nas paredes de Montségur – Sangue nas pedras da fortaleza (4x)

Já que matamos todos eles, então Deus saberá por si mesmo que os inocentes morreram pelo papa em seu trono
A ganância dos católicos e sua devoção paranóica, a maldição do cálice e o sangue na cruz
Fiéis Templários com sangue nas mãos, juntaram-se ao coro pra matar segundo pedidos
Queimados na fogueira pela libertação de suas almas, para ficar com os Cátaros para morrerem e serem livres

O livro do Velho Testamento assustador e obscuro – Satã, sua arma é a luxúria
Vivendo esse maldito castigo da carne, de volta à tortura da vida
Os Perfeitos morreriam com prazer na fogueira e todos os seus seguidores matariam
Já que pelo foi pela sabedoria de Deus que eles clamaram - A religião ainda queima por dentro

Nos portões e nas paredes de Montségur – Sangue nas pedras da fortaleza (4x)

Já que matamos todos eles, então Deus saberá por si mesmo que os inocentes morreram pelo papa em seu trono
A ganância dos católicos e sua devoção paranóica, a maldição do cálice e o sangue na cruz
Fiéis Templários com sangue nas mãos, juntaram-se ao coro pra matar segundo pedidos
Queimados na fogueira pela libertação de suas almas - Ainda queimando hereges sob nossos céus

Já que matamos todos eles, então Deus saberá por si mesmo – Rimos escondidos e em Deus confiamos
O olho no triângulo sorrindo com pecado, sem ritos de passagem para os amaldiçoados por dentro
Encarando o sol enquanto foram para seus túmulos – Queime como um cão ou viva como um escravo
A morte é o preço pela libertação da sua alma, para ficar com os Cátaros para morrerem e serem livres

Nos portões e nas paredes de Montségur – Sangue nas pedras da fortaleza
Nos portões e nas paredes de Montségur – Sangue nas pedras da fortaleza
Nos portões e nas paredes de Montségur – Sangue nas pedras da fortaleza
Nos portões e nas paredes de Montségur – Sangue nas pedras da fortaleza


Dance Of Death (Janick Gers/Steve Harris)
Let me tell you a story to chill the bones about a thing that I saw
One night wandering in the everglades - I'd one drink, but no more
I was rambling, enjoying the bright moonlight…gazing up at the stars
Not aware of a presence so near to me, watching my every move

Feeling scared and I fell to my knees, as something rushed me from the trees
Took me to an unholy place and that is where I fell from grace
And they summoned me over to join in with them to the dance of the dead
Into the circle of fire, I followed them. Into the middle, I was led

As if time had stopped still, I was numb with fear, but still I wanted to go
And the blaze of the fire did no hurt upon me, as I walked onto the coals
Then I felt I was in a trance and my spirit was lifted from me
And if only someone had the chance to witness what happened to me

And I danced and I pranced and I sang with them - All had death in their eyes
Lifeless figures - They were undead, all of them. They had ascended from hell…

As I danced with the dead, my free spirit was laughing and howling down at me
Below, my undead body just danced the circle of death
Until the time came to reunite us both, my spirit came back down to me
I didn't know if I was alive or dead, as the others all joined in with me

By luck then a skirmish started and took the attention away from me
When they took their gaze from me was the moment that I fled
I ran like hell, faster than the wind, but behind, I did not glance
One thing that I did not dare was to look just straight ahead

When you know that your time has come around, you know you'll be prepared for it
Say your last goodbyes to everyone, drink and say a prayer for it

(2x)

When you're lying in your sleep, when you're lying in your bed
And you wake from your dreams to go dancing with the dead

To this day I guess I'll never know just why they let me go
But I'll never go dancing no more ‘til I dance with the dead

A Dança Da
Morte
(Janick Gers/Steve Harris)
Deixe-me te contar uma história de arrepiar os ossos sobre uma coisa que eu vi
Uma noite vagando pelo pântano – Eu só tomei uma dose e nada mais
Eu estava passeando, curtindo a luz brilhante do luar...olhando as estrelas lá em cima
Sem notar uma presença tão próxima de mim, observando cada movimento meu

Sentindo medo, eu cai de joelhos, enquanto alguma coisa de repente me atacou, saindo das árvores
Me levou para um lugar profano e foi aí que eu cai da minha graça
E eles me evocaram para juntar-me a eles, para a dança dos mortos
Para dentro do círculo de fogo, eu os segui. Para o meio, eu fui levado

Como se o tempo tivesse parado, eu estava entorpecido de medo, mas ainda assim, eu queria ir
E a brasa do fogo não me feriu, assim que andei sobre o carvão
Daí eu senti que eu estava em transe e meu espírito foi tirado de mim
E se alguém só tivesse tido a chance de testemunhar o que aconteceu comigo

E eu dancei e eu pulei e eu cantei com eles – Todos tinham a morte em seus olhos
Figuras sem vida – Eles eram mortos vivos, todos eles. Eles tinham subido do inferno...

Enquanto eu dançava com os mortos, meu espírito livre estava dando risada e uivando pra mim
Lá embaixo, meu corpo morto vivo dançava no círculo da morte
Até que chegou a hora de unir nós dois, meu espírito desceu em mim
Eu não sabia se eu estava vivo ou morto, já que todos os outros se juntaram a mim

Por sorte então começou uma discussão e tirou a atenção de mim
Quando eles tiraram os olhos de mim, foi o momento em que eu fugi
Eu corri pra cacete, mais rápido do que o vento, mas nem olhei pra trás
Uma coisa que eu não me atrevi a fazer foi olhar só pra frente

Quando você souber que sua hora chegou, você sabe que estará preparado pra isso
Diga seu último adeus pra todo mundo, beba e faça uma oração por isso

(2x)
Quando você está deitado dormindo, quando você está deitado na sua cama
E você acorda dos seus sonhos para ir dançar com os mortos

Até hoje, eu acho que eu nunca irei saber por que eles me deixaram ir
Mas eu nunca mais vou sair dançando por aí até que eu dance com os mortos


Gates Of Tomorrow (Janick Gers/Steve Harris/Bruce Dickinson)
Weaving a thread round your heart and your soul. Deceiving your eyes and delaying your goal
Ships in the night, when they pass out of sight deliver their cargo of earthly delights
To the women and the children, the souls of the dead. I've opened their book and no mercy is shed
You want forgiveness and you want it cheap. I don't give redemption rewards for the meek

Suffering evil when you pay the price of fame. There isn't a god to save you if you don't save yourself
You can't blame a madman for this, if you go insane. Give me the strength so I carry on

Trapped in the web, but I cut the threads - Show you the gates of tomorrow
Trapped in the web, no mercy is shed - Show you the gates of tomorrow
Trapped in the web, slaves to the dead - Show you the gates of tomorrow
Trapped in the web, but I cut the threads - Show you the gates of tomorrow

Suffering evil when you pay the price of fame. There isn't a god to save you if you don't save yourself
You can't blame a madman for this, if you go insane. Give me the strength so I carry on

Trapped in the web, but I cut the threads - Show you the gates of tomorrow
Trapped in the web, slaves to the dead - Show you the gates of tomorrow
Trapped in the web, no mercy is shed - Show you the gates of tomorrow
Trapped in the web, but I cut the threads - Show you the gates of tomorrow

Os Portões Do Amanhã (Janick Gers/Steve Harris/Bruce Dickinson)
Tecendo uma linha em volta do seu coração e da sua alma. Enganado seus olhos e atrasando seu objetivo
Naves à noite, quando elas passam sem serem vistas, entregam uma carga de prazeres terrenos
Para as mulheres e para as crianças, as almas dos mortos. Eu abri o livro deles e não cai um pingo de compaixão
Você quer perdão e você quer barato. Eu não dou recompensas por redenção aos humildes

Você vai sofrer muito quando pagar o preço da fama. Não tem nenhum deus pra te salvar se você não salvar você mesmo
Você não pode culpar qualquer maluco por isso, se você ficar louco. Me dê a força, daí eu sigo em frente

Preso na teia, mas eu vou cortar os fios – Te mostro os portões do amanhã
Preso na teia, nenhum pingo de compaixão - Te mostro os portões do amanhã
Preso na teia, escravos dos mortos - Te mostro os portões do amanhã
Preso na teia, mas eu vou cortar os fios – Te mostro os portões do amanhã

Você vai sofrer muito quando pagar o preço da fama. Não tem nenhum deus pra te salvar se você não salvar você mesmo
Você não pode culpar qualquer maluco por isso, se você ficar louco. Me dê a força, daí eu sigo em frente

Preso na teia, mas eu vou cortar os fios – Te mostro os portões do amanhã
Preso na teia, escravos dos mortos - Te mostro os portões do amanhã
Preso na teia, nenhum pingo de compaixão - Te mostro os portões do amanhã
Preso na teia, mas eu vou cortar os fios – Te mostro os portões do amanhã


New Frontier (Nicko McBrain/Adrian Smith/Bruce Dickinson)
Bleeding you dry from the start - The sum of my parts to give it away
New life in a day - Some new Frankenstein, damned for all time
Cursed by the angel who fell.
Who saves me from hell?
And who is my god? And where is my soul?
Too tired to jump, too young to run

Neverending, forever searching, chasing dreams…the dreams of your heart
Always seeking, always asking questions right from the start

Out beyond the new frontier - Playing god without mercy, without fear
Create a beast, made a man without a soul
Is it worth the risk a war of god and man?

I want to end my life now, but I don't know how
Recycled again - A lifetime of pain. The spawn of a man the devil has planned

Neverending, forever searching, chasing dreams…the dreams of your heart
Always seeking, always asking questions right from the start

Out beyond the new frontier - Playing god without mercy, without fear
Create a beast, made a man without a soul

Is it worth the risk a war of god and man?
Is it worth the risk a war of god and man?

Neverending, forever searching, chasing dreams…the dreams of your heart
Always seeking, always asking questions right from the start

Out beyond the new frontier - Playing god without mercy, without fear
Create a beast, made a man without a soul

Is it worth the risk a war of god and man?

Out beyond the new frontier - Playing god without mercy, without fear
Create a beast, made a man without a soul

Is it worth the risk a war of god and man?
Is it worth the risk a war of god and man?

A Nova Fronteira (Nicko McBrain/Adrian Smith/Bruce Dickinson)
Te explorando desde o começo – A soma das minhas partes para dar de presente
Vida nova em um dia – Algum novo Frankenstein, condenado para sempre
Amaldiçoado pelo anjo que caiu. Quem me salva do inferno?
E quem é meu deus? E onde está minha alma?
Muito cansado para pular, muito jovem para fugir

Sem parar, pra sempre procurando, caçando sonhos...os sonhos do seu coração
Sempre buscando, sempre fazendo perguntas desde o começo

Lá fora na nova fronteira – Brincando de Deus sem dó, sem medo
Criou-se uma besta, fez-se um homem sem alma
Será que vale a pena o risco de uma guerra entre Deus e o homem?

Eu quero acabar com minha vida agora, mas eu não sei como
Reciclado novamente – Uma vida inteira de dor. A cria de um homem o diabo tinha planejado

Sem parar, pra sempre procurando, caçando sonhos...os sonhos do seu coração
Sempre buscando, sempre fazendo perguntas desde o começo

Lá fora na nova fronteira – Brincando de Deus sem dó, sem medo
Criou-se uma besta, fez-se um homem sem alma
Será que vale a pena o risco de uma guerra entre Deus e o homem?
Será que vale a pena o risco de uma guerra entre Deus e o homem?

Sem parar, pra sempre procurando, caçando sonhos...os sonhos do seu coração
Sempre buscando, sempre fazendo perguntas desde o começo

Lá fora na nova fronteira – Brincando de Deus sem dó, sem medo
Criou-se uma besta, fez-se um homem sem alma
Será que vale a pena o risco de uma guerra entre Deus e o homem?

Lá fora na nova fronteira – Brincando de Deus sem dó, sem medo
Criou-se uma besta, fez-se um homem sem alma
Será que vale a pena o risco de uma guerra entre Deus e o homem?
Será que vale a pena o risco de uma guerra entre Deus e o homem?


Paschendale (Adrian Smith/Steve Harris)
In a foreign field, he lay - Lonely soldier, unknown grave
On his dying words, he prays “Tell the world of Paschendale”

Relive all that he's been through - Last communion of his soul
Rust your bullets with his tears - Let me tell you 'bout his years

Laying low in a blood filled trench. Killing time 'til my very own death
On my face, I can feel the falling rain - Never see my friends again
In the smoke, in the mud and lead, smell the fear and the feeling of dread
Soon be time to go over the wall - Rapid fire and the end of us all

Whistles, shouts and more gun fire, lifeless bodies hang on barbed wire
Battlefield nothing but a bloody tomb - Be reunited with my dead friends soon
Many soldiers eighteen years - Drown in mud, no more tears
Surely a war no one can win - Killing time about to begin

Home, far away - From the war, a chance to live again
Home, far away - But the war, no chance to live again

The bodies of ours and our foes. The sea of death, it overflows
In no man's land, God only knows - Into jaws of death, we go

Crucified as if on a cross - Allied troops they mourn their loss
German war propaganda machine, such before has never been seen
Swear I heard the angels cry - Pray to God no more may die
So that people know the truth - Tell the tale of Paschendale

Cruelty has a human heart - Every man does play his part
Terror of the men we kill - The human heart is hungry still
I stand my ground for the very last time - Gun is ready as I stand in line
Nervous, wait for the whistle to blow - Rush of blood and over we go

Blood is falling like the rain - Its crimson cloak unveils again
The sound of guns can't hide their shame and so we die in Paschendale

Dodging shrapnel and barbed wire, running straight at cannon fire
Running blind as I hold my breath. Say a prayer - Symphony of death
As we charge the enemy lines, a burst of fire and we go down
I choke a cry, but no one hears - Feel the blood go down my throat

Home, far away - From the war, a chance to live again
Home, far away - But the war, no chance to live again
Home, far away - From the war, a chance to live again
Home, far away - But the war, no chance to live again

See my spirit on the wind…across the lines, beyond the hill
Friend and foe will meet again - Those who died at Paschendale

Paschendale (Adrian Smith/Steve Harris)
Num campo de batalha estrangeiro, ele descansa - Soldado solitário, tumba desconhecida
Em suas últimas palavras, ele implora “Conte ao mundo sobre Paschendale.”

Reviva tudo o que ele passou, a última comunhão de sua alma
Enferruje suas balas com as lágrimas dele – Deixe-me te contar sobre os anos dele

Deitado em silêncio numa trincheira ensangüentada. Matando o tempo até minha própria morte
No meu rosto, eu posso sentir a chuva caindo – Nunca vou ver meus amigos de novo
Na fumaça, na lama e no chumbo, sinta o cheiro do medo e o sentimento de pavor
Em breve será a hora de subirmos o muro – Uma rajada de fogo e será o fim de todos nós

Apitos, gritos e mais tiros, corpos sem vida pendurados no arame farpado
O campo de batalha nada mais é do que uma maldita sepultura – Estarei reunido com meus amigos mortos em breve
Muitos soldados, dezoito anos – Afogados na lama, sem mais lágrimas
Certamente essa é uma guerra que ninguém pode vencer – A matança está pra começar

Lar, distante – Voltar da guerra, uma chance de viver de novo
Lar, distante – Mas a guerra, sem chance de viver de novo

Os corpos dos nossos e dos nossos inimigos. O mar da morte transborda
Em terra de ninguém, só Deus sabe – Para as garras da morte, nós vamos

Crucificado como se fosse numa cruz – As tropas aliadas lamentam suas baixas
A propaganda da máquina de guerra alemã, nunca foi vista antes desse jeito
Eu juro que ouvi os anjos chorarem – Rezo a Deus para que mais nenhum morra
Então para que as pessoas saibam a verdade – Conte a estória de Paschendale

A crueldade tem um coração humano – Cada homem faz sua parte
O terror dos homens que matamos – O coração humano ainda está com fome
Eu defendo meu território pela última vez – A metralhadora está pronta enquanto eu fico em posição
Nervoso, esperando pelo apito soar – O sangue corre e vamos em frente

O sangue está caindo como a chuva – Seu manto escarlate se estende de novo
O som das armas não consegue esconder a vergonha deles e então nós morremos em Paschendale

Barricadas e arame farpado, correndo direto para a mira do canhão
Correndo sem rumo enquanto eu seguro meu fôlego – Faço uma oração – Sinfonia da morte
Assim que atacamos violentamente as linhas inimigas, uma rajada de fogo e nós vamos ao chão
Eu engulo um choro, mas ninguém ouve – Sinto o sangue descer pela minha garganta

Lar, distante – Voltar da guerra, uma chance de viver de novo
Lar, distante – Mas a guerra, sem chance de viver de novo
Lar, distante – Voltar da guerra, uma chance de viver de novo
Lar, distante – Mas a guerra, sem chance de viver de novo

Veja meu espírito ao vento...através das linhas, além das colinas
Amigo e inimigo se encontrarão novamente – Aqueles que morreram em Paschendale


Face In The Sand (Adrian Smith/Steve Harris/Bruce Dickinson)
Everybody's waiting for something to happen. Everybody's waiting for something to see
Lunatics waiting for bigger disasters. Everyone's waiting for news on t.v.
Winding lives at the end of the spiral. Waiting dictators with their next big thrill
Everyone's looking, but no one is listening. Everybody wants to be in at the kill

I wait for the signs…they tell me true. I see the signs of the endtime

Everyone's searching, but nothing's revealing. Everyone's looking for the reason why
Everyone's hoping for life everafter. Everyone's looking at death from the sky

Everyone's nightmares are going to happen. Everybody's ripping the mask from their eyes
Everyone's praying, but no one's believing. Everyone's heroes tell everyone's lies

I wait for the signs…they tell me true. I see the signs of the end…

So I watch and I wait and I pray for an answer
An end to the strife and the world's misery
But the end never came and we're digging the graves
And we're loading the guns for the kill

Can the end be at hand? Is the face in the sand?
Future memory of our tragedy

Can the end be at hand? Is the face in the sand?
Future memory of our tragedy

So I watch and I wait and I pray for an answer
An end to the strife and the world's misery
But the end never came and we're digging the graves
And we're loading the guns for the kill

Can the end be at hand? Is the face in the sand?
Future memory of our tragedy

Can the end be at hand? Is the face in the sand?
Future memory of our tragedy

Rosto Na Areia (Adrian Smith/Steve Harris/Bruce Dickinson)
Todo mundo está esperando por alguma coisa acontecer. Todo mundo está esperando alguma coisa pra ver
Lunáticos esperando por maiores desastres. Todo mundo está esperando por notícias na tv
Mandando vidas pro fim do espiral. Esperando ditadores com seus próximos grandes espetáculos
Todo mundo está olhando, mas ninguém está ouvindo Todo mundo quer estar no momento do triunfo

Eu espero pelos sinais...eles me dizem a verdade. Eu vejo os sinais do fim dos tempos

Todo mundo está procurando, mas nada se revela. Todo mundo está procurando pelo por que
Todo mundo está esperando pela vida eterna. Todo mundo está olhando a morte vindo do céu
O pesadelo de todo mundo está para acontecer. Todo mundo está arrancando as máscaras de seus olhos
Todo mundo está rezando, mas ninguém está acreditando. O herói de cada pessoa mente como qualquer um

Eu espero pelos sinais...eles me dizem a verdade. Eu vejo os sinais do fim...

Então eu vigio e eu espero e eu rezo por uma resposta
Um fim para as desavenças e para a miséria do mundo
Mas o fim nunca veio e nós estamos cavando as tumbas
E nós estamos carregando as armas para matar

Pode o fim ter chegado? Será o rosto na areia?
Memória de nossa futura tragédia
Pode o fim ter chegado? Será o rosto na areia?
Memória futura de nossa tragédia

Então eu vigio e eu espero e eu rezo por uma resposta
Um fim para as desavenças e para a miséria do mundo
Mas o fim nunca veio e nós estamos cavando as tumbas
E nós estamos carregando as armas para matar

Pode o fim ter chegado? Será o rosto na areia?
Memória de nossa futura tragédia
Pode o fim ter chegado? Será o rosto na areia?
Memória futura de nossa tragédia


Age Of Innocence (Dave Murray/Steve Harris)
I can't be compromising in my thoughts no more. I can't prevent the times my anger fills my heart
I can't be sympathizing with a new lost cause. I feel I've lost my patience with the world and all

And all the politicians and their hollow promises. And all the lies, deceit and shame that goes with it
The working man pays everything for their mistakes and with his life too if there was to be a war

So we only get one chance - Can we take it?
And we only got one life - Can't exchange it
Can we hold on to what we have…don't replace it?
The age of innocence is fading...like an old dream

A life of petty crime gets punished with a holiday. The victims' minds are scarred for life most everyday
Assailants know just how much further they can go. They know the laws are soft - Conviction chances low

So we only get one chance - Can we take it?
And we only got one life - Can't exchange it
Can we hold on to what we have…don't replace it?
The age of innocence is fading...like an old dream

You can't protect yourselves even in your own home. For fear of vigilante cries, the victims wipe their eyes
So now the criminal they launch right in our face. Judicial system lets them do it - A disgrace
Despondent public worries - Where it will all end? We can't protect ourselves, our kids from crime, the trend

We cannot warn each other of evil in our midst
They have more rights than us, you cannot call that just

So we only get one chance - Can we take it?
And we only got one life - Can't exchange it
Can we hold on to what we have…don't replace it?
The age of innocence is fading...like an old dream

The age of innocence is fading like an old dream...

A Era Da Inocência (Dave Murray/Steve Harris)
Eu não posso mais me comprometer com meus pensamentos. Eu não posso prever as vezes em que minha raiva enche o meu coração
Eu não posso ser simpático a uma nova causa perdida. Eu sinto que perdi minha paciência com o mundo e com tudo

E todos os políticos e suas promessas vazias. E todas as mentiras, a enganação e a vergonha que vem com isso
O trabalhador paga por todos os erros deles e com a vida também se isso fosse uma guerra

Então nós só temos uma chance – Será que podemos agarrá-la?
E nós só temos uma vida – Não podemos trocá-la
Será que podemos nos agarrar ao que temos...sem trocar
A era da inocência está sumindo...como um sonho antigo

Uma vida de pequenos furtos tem como punição um feriado. As mentes das vítimas ficam amedrontadas por quase que todos os dias de suas vidas
Assaltantes sabem exatamente o quão longe eles podem ir. Eles sabem que as leis são leves - As chances de condenação são baixas

Então nós só temos uma chance – Será que podemos agarrá-la?
E nós só temos uma vida – Não podemos trocá-la
Será que podemos nos agarrar ao que temos...sem trocar
A era da inocência está sumindo...como um sonho antigo

Vocês não podem se proteger mesmo em sua própria casa. Por medo dos vigilantes, as vítimas limpam a barra deles
Então agora os criminosos atacam bem na nossa cara. O sistema judicial deixa eles fazerem isso – Uma desgraça
Descaso com problemas públicos – Onde vai parar isso tudo? Nós não podemos nos proteger, nem nossas crianças do crime, a tendência

Nós não podemos alertar um ao outro sobre o mal em nosso meio
Eles têm mais direitos do que nós, você não pode dizer que isso é justo

Então nós só temos uma chance – Será que podemos agarrá-la?
E nós só temos uma vida – Não podemos trocar
Será que podemos nos agarrar ao que temos...sem substituí-las
A era da inocência está sumindo...como um sonho antigo

A era da inocência está sumindo como um sonho antigo...


Journeyman (Adrian Smith/Steve Harris/Bruce Dickinson)
From the red sky of the east to the sunset in the west
We have cheated death and he has cheated us
But that was just a dream and this is what it means…
We are sleeping and we'll dream for evermore

And the fragment remains of our memories
And the shadows we made with our hands
Deeper grey come to mourn all the colours of the dawn
Will this journeyman’s day be his last?

I know what I want and I say what I want and no one can take it away (4x)

But the memory still remains, all the past years not so strange
Our winter times are like a silent shroud
And the heartbeat of the day drives the mist away
And winter's not the only dream around

In your life, you may choose desolation
And the shadows you build with your hands
If you turn to the light that is burning in the night
Then your journeyman's day has begun

I know what I want and I say what I want and no one can take it away (4x)

You spree your life when you chosen destruction of time...over yourself

In your life, you may choose desolation
And the shadows you build with your hands
If you turn to the light that is burning in the night
Then your journeyman's day has begun

I know what I want and I say what I want and no one can take it away (4x)

Aprendiz (Adrian Smith/Steve Harris/Bruce Dickinson)
Do céu vermelho no leste ao pôr do sol no oeste
Nós trapaceamos a morte e ela também nos trapaceou
Mas aquilo foi só um sonho e é isto que isso significa...
Nós estamos dormindo e nós sonharemos pra todo sempre

E o fragmento ainda resta de nossas memórias
E as sombras que fizemos com nossas mãos
Um cinza profundo vem lamentar pelas cores do amanhecer
Será que este vai ser o último dia do aprendiz?

Eu sei o que eu quero e eu digo o que eu quero e ninguém pode tirar isso de mim (4x)

Mas as memórias ainda permanecem, todos os anos que se passaram não são tão estranhos
Nossas épocas de inverno são como um santuário silencioso
E a batida do coração do dia leva a névoa embora
E o inverno não é o único sonho que há

Em sua vida, você pode escolher solidão
E as sombras que você constrói com suas mãos
Se você se virar para a luz que está queimando na noite
Então o seu dia de aprendiz começou

Eu sei o que eu quero e eu digo o que eu quero e ninguém pode tirar isso de mim (4x)

Você goza sua vida quando você escolhe a destruição do tempo...sobre você

Em sua vida, você pode escolher solidão
E as sombras que você constrói com suas mãos
Se você se virar para a luz que está queimando na noite
Então o seu dia de aprendiz começou

Eu sei o que eu quero e eu digo o que eu quero e ninguém pode tirar isso de mim (4x)

2 comentários:

Adailton disse...

Excelente iniciativa!

Não li todas as letras, mas por enquanto apenas aquelas pelas quais mais tive interesse.

Dúvida em "Out of the shadows":
"Princes" (príncipes)
ou
"princess" (princesas)?

Abraço!

Jeffmetal disse...

Fala, Adaílton. Valeu pelo comentário e em OOTS é princess of the universe (princesa do universo).

Abraço e STAY HEAVY!!! \m/