quarta-feira, 30 de abril de 2008

Letras Traduzidas - The Garden Of Unearthly Delights (2005)

The Garden Of Unearthly Delights (2005)

Lee Dorrian – Vocals

Garry ‘Gaz’ Jennings – Electric and Acoustic Guitars

Leo Smee – Bass Guitar

Brian Dixon – Drums

Dearth AD 2005 (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Burning witches…
We still…???????
Burning witches…

Escassez AC* 2005 (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Queimando bruxas…
Nós ainda…???????
Queimando bruxas…

*AC – Ano De Cristo


Tree Of Life & Death (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
In the garden of creation, stands a skeletal tree
Hanging from its branches, afterbirth of Adam & Eve
Blossomed in mutation, burning through centuries
Tortured minds, heinous crimes plague God's family

Procreation - From decay and sand
Transmutation - Pains this fated land
Lifeless earth - All love bereft
No life left - On the tree of life and death

Slug like dead existence, our feeding hunger breeds
Master of future decay sowed his deadly seed
Roots of evil ate away our fruits of destiny
Thorns of human nature stabbed hearts of the free

Procreation - From decay and sand
Transmutation - Pains this fated land
Lifeless earth - All love bereft
No life left - On the tree of life and death

Ogun*! Malungu*! Kalumba*!
Kintu*! Oloron*! Mukuru*!

Original sin...

In the garden of existence
Hanging from temptation's tree
There's a carnival of mutations
Growing from man's fated seed

Leza*! Marasu*! Chiuta*!
Nzumbi*! Osawa*! Zanahary*!

God's offspring ate the apple, creating lust envy
Sucking, puking leaches - A catastrophe of greed
Garden of temptation, lured by serpent's creed
Moral desolation eternally diseased

Procreation - From decay and sand
Transmutation - Pains this fated land
Lifeless earth - All love bereft
No life left - On the tree of life and death
*Meaning of the gods names at:
www.pantheon.org and www.godchecker.com

A Árvore Da Vida & Da Morte(Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
No jardim da criação, tem uma árvore esquelética
Pendurada em seus ramos, a placenta da cria de Adão e Eva
Desabrochada em mutação, queimando através dos séculos
Mentes torturadas, crimes hediondos praguejam a família de Deus

Procriação – De podridão e areia
Transmutação – Dói nessa terra condenada
Terra sem vida – Toda desprovida de amor
Nenhuma vida restou – Na árvore da vida e da morte

Como lesmas que estão morrendo, nossa fome só aumenta
O mestre da decadência do futuro plantou sua semente mortal
As raízes do mal devoraram os frutos do nosso destino
Os espinhos da natureza humana espetaram os corações dos livres

Procriação – De podridão e areia
Transmutação – Dói nessa terra condenada
Terra sem vida – Toda desprovida de amor
Nenhuma vida restou – Na árvore da vida e da morte

Ogum*! Malungu*! Kalumba*!
Kintu*! Olorum*! Mukuru*!

Pecado original...

No jardim da existência
Pendurado na árvore da tentação
Tem um carnaval de mutações
Crescendo da semente fadada do homem

Lissá*! Marasu*! Chiuta*!
Nzumbi*! Osawa*! Zanahary*!

Os rebentos de Deus comeram a maçã, criando luxúria e inveja
Chupando, vomitando o bagaço – Uma catástrofe da ganância
Jardim da tentação, atraente pela crença na serpente
Desolação moral, eternamente doente

Procriação – De podridão e areia
Transmutação – Dói nessa terra condenada
Terra sem vida – Toda desprovida de amor
Nenhuma vida restou – Na árvore da vida e da morte

*Siginificado do nomes dos deuses: www.pantheon.org e www.godchecker.com, e também fazendo buscas sobre 'mitologia africana/deuses africanos' no Google.


North Berwick Witch Trails (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Spoken: "And the veredict of this court is that you'll be taken from here to a place of execution, where you will be hanged by the neck, until you are dead…dead...

May the Lord have mercy of your souls.”

Grand master of the Sabbath, John Fane
Told his coven gathered "Kill King James"
Wax a figure of his image and wrap it in his clothing
Burn it slowly whilst he is sleeping

Feed him with poison - Bring the monarchy down
Our sin is rebellion, in black arts crowned

3 covens of 39
In 1591, that night, performed a rite
A grand Sabbath, with one aim in sight:
To destroy the king of England

Create a storm, whilst overseas he sails
To bring his Danish bride back to these isles
They christened a cat in his name, threw it in a pond no shame
A tempest was aroused - Who should be blame?

Hunt down those witches - Confess or die
Sink or swim - They're guilty! Let's hang 'em high

3 covens of 39
In 1591, that night, performed a rite
A grand Sabbath, with one aim in sight:
To destroy the king of England

Witchcraft spreading all around this Christian land
Find them, burn them to the ground - Their souls condemned

Their ill fated curse failed, so the king held trail
The first great persecution of the British Isles
An imp sucks a spinster's nipple, a hare drains milk from cattle
A clergy fornicate at the black dog's ball

Pierce flesh with needles - Three inches in
If they scream, they're guilty - Guilty as sin

3 covens slaughtered that night
39 crucified, burned and hanged alive
Interrogated at our first witch trails
Sentenced by the king of England

Caça Às Bruxas De North Berwick (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
"E o veredicto dessa corte é que vocês serão levadas daqui para um lugar de execução, onde vocês serão penduradas pelo pescoço até que estejam mortas... mortas...
Que o Senhor tenha piedade de suas almas”

Grande mestre do Sabá, John Fane
Disse para sua congregação reunida “Matem o Rei James”
Façam uma figura de cera dele e cubram com a roupa dele
Queimem ela devagar enquanto ele estiver dormindo

Alimente-o com veneno – Derrubem a monarquia
Nosso pecado é rebelião, corada por artes negras

3 congregações de 39
Em 1591, naquela noite, realizaram o ritual
Um grande Sabá, com uma meta em vista
Destruir o rei da Inglaterra

Forma-se uma tempestade, enquanto ele cruza o mar
Para trazer sua noiva Dinamarquesa de volta pra essas ilhas
Eles batizaram um gato em nome dele, jogaram-no num tanque sem dó
Uma tempestade foi provocada – Quem deveria ser culpado?

Cacem e tragam aquelas bruxas – Confessem ou morram
Afundem ou bóiem – Elas são culpadas! Vamos pendurá-las bem alto

3 congregações de 39
Em 1591, naquela noite, realizaram o ritual
Um grande Sabá, com uma meta em vista
Destruir o rei da Inglaterra

Bruxaria se espalhando por toda essa terra Cristã
Encontrem-nas, queimem-nas até a morte – As almas delas condenadas

A maldição mal intencionada delas falhou, então o rei iniciou uma caçada
A primeira grande perseguição da ilhas Britânicas
Um bastardo mama nos peitos de uma solteirona, uma lebre toma leite do rebanho
Um clérigo fornica com a vontade de um cão preto

Espetem a carne com agulhas – Três polegadas pra dentro
Se elas gritarem, elas são culpadas – Culpadas sem dúvida

3 congregações massacradas naquela noite
39 crucificadas, queimadas e enforcadas vivas
Interrogadas em nossa primeira caça as bruxas
Sentenciadas pelo rei da Inglaterra


Upon Azrael's Wings (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Riding on the flames of death into this last night, fear relents
As we race through skies, 'pon Azrael's wings
He has come to set us free from this earthbound misery
Father of macabre, you possess the key

To heavens black galactic morgue
Chosen few, seek your reward
In solitude, perpetual silence
Cosmic womb, eternal solace

Embracing cosmic mysteries to world's below, he's sent a wreath
Elated black angel, our requiem, he sings
As tears of Nebula fill black holes, drowning galaxies of lost souls
We continue our ascent to heavens low

No turning back from galactic morgue
Chosen few, find your reward
In solitude, perpetual silence
Cosmic womb, eternal solace…Ooh!

Colossal grave of shadows - Extinction of mankind
Eternal morgue of sorrows - No beauty left behind

Void of shadow - Man's colossal grave
Ball of ash into zero fades
Nothing left to mourn, yeah…all has died ever born
Barren voyage, static drone - Stark oblivion reigns so cold
Dropped out our existence, we've found our home

In heaven's black, galactic morgue
Chosen few, have found our reward
In solitude, perpetual silence
Cosmic womb, eternal solace…Hey!

Sob As Asas De Azrael(Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Caminhando pelas chamas da morte pra dentro dessa última noite, o medo se abranda
Enquanto corremos pelos céus, sob as asas de Azrael
Ele veio pra nos libertar dessa miséria terrena
Pai do macabro, você possui a chave

Para o necrotério galáctico escuro dos céus
Poucos escolhidos, buscam recompensa
Em solidão, silêncio perpétuo
Útero cósmico, consolo eterno

Abraçando mistérios cósmicos do mundo lá embaixo, ele mandou uma grinalda
Eufórico anjo negro, nosso réquiem, ele canta
Enquanto lagrimas de nebulosas preenchem buracos negros, afogando galáxias de almas perdidas
Nós continuamos a subir para o céu humilde

Não há volta do necrotério galáctico
Poucos escolhidos, buscam sua recompensa
Em solidão, silêncio perpétuo
Útero cósmico, consolo eterno... Ooh!

Tumba colossal de sombras – Extinção da humanidade
Eterno necrotério de tristeza – Nenhum beleza foi deixada

Vácuo de sombras – A tumba colossal do homem
Uma bola de cinza desaparece no nada
Nada sobrou para lamentar, yeah... tudo que um dia nasceu está morto
Viagem estéril, monotonia estática – O completo esquecimento reina tão frio
Excluídos de nossa existência, nós encontramos nosso lar

No necrotério galáctico escuro dos céus
Poucos escolhidos, encontraram nossa recompensa
Em solidão, silêncio perpétuo
Útero cósmico, consolo eterno... Hey!


Corpsecycle (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Corpsecycle!

Living dead of London town, flesh vessels underground
Mourning suits, burial gowns
9 to 5's doleful sound, pallid faces, office bound
Mortuary all year round

Corpsecycle...is life circle
Life circle...is corpsecycle

Life is passing away
Society eats your mind away

Walking corpses, vacant slaves, banking rottenness decay
Saving cash for early graves
Utopia is coffin shaped, wealth hungry drugged rats chase
Empty dreams of a better place

Corpsecycle...is life circle
Life circle...is corpsecycle

Life is passing away
Society eats your mind away

(Truth fades away...)
Truths fading farther day by day, to material enslaved
(Die with the world...)
Die with the world as they awake, in the rat race they rotate…Corpsecycle...

Degenerations zombified, oblivions in the tombstone line
Corpse fucking their way through time

Corpsecycle...is life circle
Life circle...is corpsecycle

Life is passing away
Society eats your mind away

Life has passed you away (Flesh turned to grey)
Society ate your mind away

Cicladáver (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Cicladáver!

Mortos vivos da cidade Londres, vassalos de carne no metrô
Ternos deprimentes, casacos de enterro
O som doloroso das 9 as 5, rostos pálidos, em direção ao escritório
Mortuário o ano inteiro

Cicladáver... é o ciclo da vida
O ciclo da vida... é o cicladáver

A vida está passando
A sociedade devora sua mente

Cadáveres ambulantes, escravos ociosos, amontoando-se na podridão
Guardando grana para tumbas prematuras
A utopia tem formato de caixão, a fome pela riqueza dopou a caçada dos ratos
Sonhos vazios de um lugar melhor

Cicladáver... é o ciclo da vida
O ciclo da vida... é o cicladáver

A vida está passando
A sociedade devora sua mente

(A verdade some...)
A verdade sumindo mais a cada dia, para os escravos dos bens materiais
(Morrem com o mundo...)
Morrem com o mundo assim que acordam, na corrida de ratos eles rodam... Cicladáver...

Degenerações zumbificadas, esquecidas na fila das lápides
O cadáver está fodendo o caminho deles através dos tempos

Cicladáver... é o ciclo da vida
O ciclo da vida... é o cicladáver

A vida está passando
A sociedade devora sua mente

A vida passou por você (A carne ficou cinza)
A sociedade devorou o sua mente


Fields Of Zagara (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Instrumental

Campos De Flor De Laranjeira(Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Instrumental


Oro, The Manslayer (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Under war torn sodden skies, bleeding axes, anguished eyes
Fight upon an earth that died, raped by corporate scythe
Streets are red, sun turned to grey, nature's beauty has decayed
Swans lay dead on empty lakes – Love… Oh, man forsakes

Fear his wrath as man blood flows – Innocence, now no one knows
Rites of virtue, we've disposed - Heaven's door solemnly closed
Cities crumbled to the ground, deformed crosses mark the land
Carnage lingers all around - No refuge for the damned

Damned, yeah!

Eyes of death look upon this earth
Destroyed by mankind's curse
Retribution, mutilation - Desecrate, avenge

Oppressive tyrants to him, fall - One by one, he reaps their soul
Tearing death from their control, elated by the rising toll
Slaying masters and their laws, who destroyed our world with force
Oro gives unto the poor swords to join him, in this war

Eyes of death look upon this earth
Destroyed by mankind's curse
Retribution, mutilation - Desecrate, avenge

Battlefield of charnel air - Land, sea, earth, now laid bare
Morgue of solitude we share - No mercy for our prayers
Laying down his bloody sword, Oro leaves us our reward
Silent vacuum, endless floor - Gone forevermore

Eyes of death, gazed upon this earth
Destroyed by mankind's curse
Retribution, mutilation - Desecrate, avenge

Oro, O Assassino Do Homem (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Sob céus encharcados de guerra, machados sangrando, olhos angustiados
Lutam sobre uma terra que morreu, estuprados pela foice dos aliados
As ruas estão vermelhas, o sol ficou cinza, a beleza da natureza se decompôs
Cisnes estão caídos mortos em lagos vazios – Amor.... oh, o homem abandona

Temem a ira dele enquanto o sangue do homem corre – Inocência, agora ninguém conhece
Rituais da virtude nós preparamos – A porta do paraíso solenemente se fechou
Cidades desmoronaram ao chão, cruzes deformadas marcam a terra
Carnificina se acumula por toda parte – Sem refúgio para os condenados

Condenados, yeah!

Os olhos da morte olham sobre essa Terra
Destruída pela maldição da espécie humana
Retribuição, mutilação – Profanem, se vinguem

Tiranos opressores diante dele caem – Um por um, ele ceifa as almas
Arrancando a morte do controle deles, excitado pelo preço da ascensão
Assassinando mestres e suas leis que destruíram nosso mundo a força
Oro dá aos pobres espadas para juntarem-se a ele nessa guerra

Os olhos da morte olham sobre essa Terra
Destruída pela maldição da espécie humana
Retribuição, mutilação – Profanem, se vinguem

O campo de batalha com o ar cheirando morte – Terra, mar, planeta agora são revelados
O necrotério da solidão nós compartilhamos – Sem piedade para nossas preces
Repousando sua espada sangrenta, Oro nos deixa nossa recompensa
Vácuo silencioso, um chão sem fim – Foi-se para sempre

Os olhos da morte olham sobre essa Terra
Destruída pela maldição da espécie humana
Retribuição, mutilação – Profanem, se vinguem


Beneath A Funeral Sun (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Ghost of war smiling - Damnation is nigh
Humanity abandoned - Atrocity is rife
Moral desolation - Future in decline
Final devastation - We shall pay the price

Funeral sun, devoid of fire (Harmless and cold)
Hangs above our burning pyre (Harmless and cold)

Earth is falling – Mother…please
Save our sinners – Father…please

Plastic churches melting, fanatics getting high
On fumes of Armageddon - God didn't lie

Fatal acts towards man's extinction (Harmless and cold)
Form a scythe in his reflection (Harmless and cold)

Earth is falling – Mother…please
Save our sinners – Father…please

Haunting silence, desolate gloom
Spectral visions of planet doomed

Star shaped crucifixes, cosmic tomb
Tranquil void awaits us soon

Black drapes overhanging - A vulture’s paradise
World leaders celebrating wargasmic genocide
Undertakers laughing at cost of sacrifice
Ghost of man is fading - No signs of afterlife

Funeral sun devoid of fire (Harmless and cold)
Mourns in sleep at rest retired (Harmless and cold)

Earth has fallen - No more pleas
Mankind's burning (Spectral flees)

Debaixo De Um Sol Fúnebre(Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
O fantasma da guerra sorrindo – A condenação está perto
Humanidade abandonada – Atrocidade é freqüente
Desolação moral – Futuro em declínio
Devastação final – Nós pagaremos o preço

Sol fúnebre, destituído do fogo (Inofensivo e frio)
Se pendura sobre nossa pira funerária (Inofensivo e frio)

A Terra está caindo – Mãe... por favor
Salve nossos pecadores – Pai... por favor

Igrejas de plásticos derretendo, fanáticos pirando total
Nos fumos do Armageddon – Deus não mentiu

Atos fatais para a extinção do homem (Inofensivo e frio)
Formam uma foice em seu reflexo (Inofensiva e frio)

A Terra está caindo – Mãe... por favor
Salve nossos pecadores – Pai... por favor

Silêncio assustador, melancolia desolada
Visões espectrais de um planeta condenado

Crucifixos em formato de estrela, tumba cósmica
O vácuo tranqüilo nos aguarda em breve

Vestes negras penduradas lá em cima – Um paraíso de abutres
Lideres mundiais celebrando o genocídio orgasmiguérrico
Agentes funerários gargalhando às custas do sacrifício
O fantasma do homem está desaparecendo – Nenhum sinal de vida eterna

Sol fúnebre, destituído do fogo (Inofensivo e frio)
Lamenta no sono de sua aposentadoria (Inofensivo e frio)

A terra caiu – Chega de suplícios
A espécie humana queima (Espectros fogem)


The Garden (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Part 1 (Thorns Of Creation)
New light has formed from the darkness torn
Of dust and sand, mankind is born
Our garden evergreen, its flowers so serene
We sing along with birds, naked…free

Curiosity, led us to a tree
We ate from it the fruits of poisoned destiny

Part 2 (Trouble In The Garden)
a)
Horns of goat, tongue of serpent
Head of dog, body of man

He has chosen to pervert God's land
In his heaven - The garden of unearthly delights

b) Flowers of blood grow in love's garden
Upon the black grass of our betrothal

We have chosen to pervert God's land
This is our heaven - The garden of unearthly delights

Part 3 (Into The Valley Of Violet Orchids)
I) Cadaverous Butterfly

Stillborn beauty greets the air
Cadaverous butterfly draws near
Skullish face - Scarlet wings
Eerie grace of death, she brings

Haggard marble crosses bare
Entrance to her pesty lair
Skullish face - Vampire wings
Demon's ace - Fluttering

Poisoned perfume leads you there
Carnivorous insect has you snared
Fallen prey - Mesmerized
Skullish face - Eats your eyes

Haggard marble crosses bare
Entrance to her pesty lair
Skullish face - Vampire wings
Demon's ace - Fluttering

Poisoned perfume leads you there
Carnivorous insect has you snared
Fallen prey - Mesmerized
Skullish face - Eats your eyes, yeah...

II) Blind Man's Gaze
In steaming woodlands, you awake
Eyes drip the blood
Rats digging a grave at your feet
As storm clouds gather above

In earth's garden, nature sings man's requiem

Dump, numb, lost on cold ground
Whilst spiders explore your flesh
Raise your head from mossy stone
And slimy dew, in which you rest

In death's sanction, all life's beauty is its end

Part 4 (Flight Of The Reaper)
I) Court Of The Cosmic Judge

Witching moon burning, frozen sun ashamed to rise
Earth's vampires thirsting for a final taste of life
Flight of the reaper - Coming to greet man's end
Cosmic judge awakens – From his council, we're expelled

White dove on fire, flies into Azrael's sky
Black winged messiah - Accepts man's sacrifice
Flight of the reaper - He arrives at his promised land
Our funeral curator - Cups the earth with skeletal hands

II) Tunnel Of Death

Part 5 (Alarm Bells In Paradise)
I) Mourning Of A Paused Dawn

Dawn, creeps on
As night, withdraws
Orchid sun
Rises, paused

II) Black Bulbophyllum Sunrise
Bulbophyllum Barbigerum
Purpureorchis Dyanum
Dendrochilum Cobbianum
Orchis Mascula

Exit the valley of violet orchids
Exit the valley of violet orchids

Part 6 (Exit The Valley Of Violet Orchids)
I)
Through the concrete meadows of life
You pass the valley of death
Rejoin the ghoulish droll procession
You thought you had left

Orikifirus sends down hearses
From the kingdom of our dead sun
Whores to oblivion now are taken...
To your promised land

II) Chains Of Mortality
Burning in the flames of piety and shame
A pure, divine existence can't be reborn again

For your virtue, there is no reward
Grand illusions of a heaven flawed

Break the skeletal chain, thoughts reborn again
Devoid of life’s aflame - An existence profane

Celebrating our freedom
In this prison of God's kingdom

Part 7 (i.e. Part 2)
c)
Back To The Garden
Fireless sun, morgue like planet
Deceased minds now control it

We have chosen to accept God's land
Is this our heaven? - The garden of unearthly delights

Part 8 (Pool Of Sleeping Minds)
I couldn't figure out clearly what Lo Polidoro is saying, but it is a starting point anyway.

I know that you have drunk from the pool, with that sweet sorrow
That same torment of remembering too much, too soon
Do if it would not for that stained
That shade of darkness night, none would see the flame
That eternal spark posed to ablaze the world
To set every heart ablaze with his passion
You must be burned through it, his love

And you'll notice might passions, would scatter in the night
Would scatter of the flames you gave her
Your tear filled eyes and you dry the?????????
Our words are the seeds that only grew the fears of ???????????????
It spirit's ripe from understanding, who shall manifest in true full
And then shall change it for ???????????? truth and remember where they came

Part 9 (Endtyme)
Soldiers now walk through the streets so cold
Concrete walls, dark buildings toll
Our garden has turned grey, its beauty gone away
Earth became a grave for nature's way

Seeds of decay have grown into today
Endtyme has come - All light fades away

O Jardim (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Parte 1 (Espinhos Da Criação)
Nova luz se formou da escuridão que se rasgou
Do pó e da areia, a espécie humana nasce
Nosso jardim perene, suas flores tão serenas
Nós cantamos junto com os pássaros, nus... livres

A curiosidade nos levou até uma árvore
Nós comemos dela os frutos do destino envenenado

Parte 2 (Problema No Jardim)
a)
Chifres de bode, língua de serpente
Cabeça de cachorro, corpo de homem

Ele escolheu perverter a terra de Deus
No paraíso dele – O jardim dos prazeres antinaturais

b) Flores de sangue crescem no jardim do amor
Sobre a grama negra de nosso noivado

Nós escolhemos perverter a terra de Deus
Este é o nosso paraíso - O jardim dos prazeres antinaturais

Parte 3 (Dentro Do Vale Das Orquídeas Violetas)
I) Borboleta Cadavérica

Beleza natimorta saúda o ar
A borboleta cadavérica se aproxima
Rosto esquelético – Asas de vampiro
A graça sinistra da morte, ela traz

Cruzes de mármore estragadas aparecem
Entrada pro seu covil pestilento
Rosto esquelético – Asas de vampiro
Demônio astuto – Se agitando

Um perfume venenoso te leva até lá
Um inseto carnívoro tem você emboscado
Presa abatida – Hipnotizada
Rosto cadavérico – Devora os seus olhos

Cruzes de mármore estragadas aparecem
Entrada pro seu covil pestilento
Rosto esquelético – Asas de vampiro
Demônio astuto – Se agitando

Um perfume venenoso te leva até lá
Um inseto carnívoro tem você emboscado
Presa abatida – Hipnotizada
Rosto cadavérico – Devora os seus olhos, yeah...

II) O Olhar Do Homem Cego
Em florestas enfumaçadas, você acorda
Dos olhos pingam o sangue
Ratos cavam uma tumba em seus pés
Uma nuvem de tempestade se forma lá em cima

No jardim da Terra, a natureza canta o réquiem do homem

Acabado, entorpecido, perdido em solo frio
Enquanto aranhas exploram sua carne
Levante sua cabeça da pedra musgosa
E com orvalho grudento na qual você descansa

Sob a sanção da morte, toda a beleza da vida chega ao fim

Parte 4 (O Vôo Do Ceifador)
I) A Corte Do Juiz Cósmico

A lua enfeitiçada queimando, o sol congelado com vergonha de se levantar
Os vampiros da Terra com sede pelo último gosto da vida
O vôo do ceifador – Vem saudar o fim do homem
O juiz cósmico desperta – De sua câmara, nós somos expulsos

Pomba branca em chamas, voa para o céu de Azrael
Messias de asas negras – Aceita o sacrifício do homem
O vôo do ceifador – Ele aterrisa em sua terra prometida
Nosso curador fúnebre – Aperta a Terra com uma mão esquelética

II) Túnel Da Morte

Parte 5 (Sinos Do Alarme No Paraíso)
I) Lamentar De Um Amanhecer Pausado

O amanhecer se arrasta
Enquanto a noite se retira
Sol orquídea
Se ergue, pausado

II) Nascer Do Sol Da Bulbophyllum Negra
Bulbophyllum Barbigerum
Purpureorchis Dyanum
Dendrochilum Cobbianum
Orchis Mascula

Saia do vale das orquídeas violetas
Saia do vale das orquídeas violetas

Parte 6 (Saia Do Vale Das Orquídeas Violetas)
I)
Através dos pastos concretos da vida
Você atravessa o vale da morte
Junta-se de novo a cômica procissão horrenda
Que você achou ter deixado

Orikifirus manda velórios pra baixo
Do reino do nosso sol que morreu
Prostitutas do esquecimento agora são levadas
Para sua terra prometida

II) Correntes Da Mortalidade
Queimando nas chamas da piedade e da vergonha
Um existência pura, divina não pode renascer de novo

Para sua virtude, não tem recompensa nenhuma
Grandes ilusões de um paraíso falharam

Quebra-se a corrente esquelética, pensamentos renascem de novo
Destituído da vida que arde – Uma existência profana

Celebrando nossa liberdade
Nessa prisão do reino de Deus

Parte7 (i.e. Part 2)
c)
De Volta No Jardim
Sol sem fogo, planeta parece um necrotério
Mentes mortas agora controlam-no

Nós escolhemos aceitar a terra de Deus
Será esse o nosso paraíso? – O jardim dos prazeres antinaturais

Parte 8 (Piscina De Mentes Adormecidas)
Em aberto.

Parte 9 (Fim Dos Tempos)
Soldados agora andam pelas ruas tão frias
Paredes de concreto, prédio escuros pesam
Nosso jardim ficou cinza, a beleza dele foi-se embora
A Terra virou uma tumba para o caminho da natureza

As sementes da decadência cresceram nos dias de hoje
O fim dos tempos chegou – Toda a luz desaparece

Proga-Europa (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
This hidden track was based on an old Coke Cola ad in which the song is played by The Who maybe and they keep repeating Coke Cola, Coke Cola endlessly. The Cathedral guys so came up with the idea of say loads of 70's prog bands instead of Coke Cola.

Earth And Fire, Cosmic Dealer, Supersister Armageddon, Nosferatu, Gift

Proga-Europa(Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Nessa música, Lee canta o nome de várias bandas de progressivo da Europa. Algumas são compreensíveis, mas a maioria é falada com aquele sotaque bizarro do cara.

Earth And Fire, Cosmic Dealer, Supersister
Armageddon, Nosferatu, Gift

terça-feira, 29 de abril de 2008

Letras Traduzidas - The VIIth Coming (2002)

The VIIth Coming (2002)

Lee Dorrian – Vocals

Garry ‘Gaz’ Jennings – Electric and Acoustic Guitars

Leo Smee – Bass Guitar

Brian Dixon – Drums

Phoenix Rising (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Altar of the sun god - We melt before your flames
Children of darkness - Bound in human chains

Hellfire kindles the hatred in our hearts
All love has frozen - From you, we're torn apart

To the sun, we are blind
As we watch our world die
From the ashes of demise
Our burning phoenix shall arise

Soldiers of fortune fighting unto death
Condemned in armour sold for their last breath

Upright citizens to decadence enslaved
Peak of pleasure waiting in your graves

To the sun, we are blind
As we watch our world die
From the ashes of demise
Our burning phoenix shall arise

As our dreams turn into burning ash
We crystalise in flames, then fly

To the sun, we are blind
As we watch our world die
From the ashes of demise
Our burning phoenix shall arise

Corporate fascists feast on the corpse of man
Psycho assassins from the holy land

Fiery destruction - Our salvation found?!

Fênix Se Erguendo (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Altar do deus sol – Nós derretemos diante de suas chamas
Crianças da escuridão – Fadadas as correntes humanas

O fogo do inferno acende o ódio em nossos corações
Todo o amor congelou – De você nós somos arrancados

Para o sol, nós estamos cegos
Enquanto assistimos nosso mundo morrer
Das cinzas da morte
Nossa fênix de fogo se levantará

Soldados da fortuna lutando até a morte
Condenados em armaduras vendidas para seu último suspiro

Cidadãos corretos escravizados pela decadência
O pico do prazer espera em suas tumbas

Para o sol, nós estamos cegos
Enquanto assistimos nosso mundo morrer
Das cinzas da morte
Nossa fênix de fogo se levantará

Enquanto nossos sonhos viram cinza ardente
Nós nos cristalizamos nas chamas, e então voamos

Para o sol, nós estamos cegos
Enquanto assistimos nosso mundo morrer
Das cinzas da morte
Nossa fênix de fogo se levantará

Fascistas associados se deliciam no cadáver do homem
Assassinos psicopatas da terra santa

Destruição ardente – Nossa salvação encontrada?!


Resisting The Ghost (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Living dead vampire trying to taunt me back to the grave
My black and macabre past summoning me forever a slave
Black sun arising, howling moon it screams
As spider's web, she's weaving again - Hallucinations sucking me in

Resisting the ghost
My former life host
Yeah, I've resisted the ghost

Echoed celebrations haunt loves hollow room
Motivation mortally trapped in regrets obsessive tomb
A stake she's thrusting into my dying heart

Midnight power ignites the past - Awakes me from this coffin at last

Resisting the ghost
The one I loved most
I've resisted the ghost

Resisting the ghost
Resisting the ghost
She was the one I loved most
I've resisted the ghost

Resistindo Ao Fantasma(Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Vampira morta viva tentando me convencer a voltar a minha tumba
Meu passado negro e macabro me evocando pra sempre como um escravo
Sol negro se levantando, a lua uivante grita
Como a teia de uma aranha, ela está tecendo de novo – Alucinações me sugando pra dentro

Resistindo ao fantasma
Minha hospedeira vital
Yeah, eu tenho resistido ao fantasma

Celebrações ecoam e assombram a sala vazia do amor
Motivação fatalmente presa na tumba obsessiva do arrependimento
Uma estaca ela está enfiando dentro do meu coração que morre
O poder da meia-noite acende o passado – Me desperta desse caixão enfim

Resistindo ao fantasma
Daquela que eu mais amei
Yeah, eu tenho resistido ao fantasma

Resistindo ao fantasma
Resistindo ao fantasma
Ela foi aquela que eu mais amei
Eu tenho resistido ao fantasma


Skullflower (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
She plants a seed in my head
Opium narcosis hypnotic dread
I feel her death growing in me
It's like a cancer yet I crave the disease

Mesmerized by her strange power
Beauty and death in union
She blossoms in the 13th hour - Skullflower

Hollow skull, emotionless grin
Arcane tunnels sucking me in
Black vortex in her eyes
Reminds me of a love that died

Lady death evolves from a flower
Growing upon my tomb
Into her ground, I'm sinking lower - Skullflower

She plants a seed in my head
Opium narcosis hypnotic dead
I feel her death growing in me
It's like a cancer yet I crave the disease

Mesmerized by her strange power
Beauty and death in union
She blossoms in the 13th hour - Skullflower

Flor Crânio (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Ela planta uma semente em minha cabeça
Narcose de ópio, medo hipnótico
Eu sinto a morte dela crescendo em mim
É como um câncer e eu ainda imploro pela doença

Hipnotizado pelo estranho poder dela
Beleza e morte em união
Ela desabrocha na última hora – Flor Crânio

Crânio vazio, sorriso sem emoção
Túneis arcaicos me sugando pra dentro
Vórtice negro nos olhos dela
Me lembra de um amor que morreu

A senhorita morte se desenvolve de uma flor
Crescendo sobre minha tumba
Pra dentro do solo dela, eu to afundando bem lá pra baixo – Flor Crânio

Ela planta uma semente em minha cabeça
Narcose de ópio, medo hipnótico
Eu sinto a morte dela crescendo em mim
É como um câncer e eu ainda imploro pela doença

Hipnotizado pelo estranho poder dela
Beleza e morte em união
Ela desabrocha na última hora – Flor Crânio


Aphrodite's Winter (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Frozen land mesmerized by her arcane mystery
Goddess of the underworld, cold queen of lost beauty
Gazed upon earth's battleground, at mankind's misery
With her sadness came love's death as the violence slowly ceased

Her weeping tears of darkness crystalised the earth
As warmth turned cold, her grief chilled away all mirth

Frosted armies paused in war, now wearing beards of snow
Perishing forever, forevermore - Her bite numbs to the bone
Housed in caves, men of peace rest in these times of woe
Shaking in glass…glass coffins, waiting for the sun to glow

She cast her spell on earth and all emotion died
Her languid heart dulled the skies with love's demise

She crystalised the earth with water from her eyes
A frozen sun now hangs above this land's demise

O Inverno De Afrodite(Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Terra congelada, hipnotizada pelo mistério arcaico dela
Deusa do mundo subterrâneo, rainha gelada da beleza perdida
Olhou fixamente sobre o campo de batalha da Terra, para a miséria da raça humana
Com a tristeza dela veio a morte do amor enquanto a violência calmamente cessou

Suas lágrimas que escorrem da escuridão cristalizaram a Terra
Enquanto o calor virou frio, o desgosto dela esfriou toda a jovialidade

Exércitos congelados, pausados em guerra agora usam barbas de neve
Perecendo para sempre, para todo sempre... – A torpor dela vai até o osso
Entocados em cavernas, homens de paz descansam nesses tempos de aflição
Chacoalhando em vidro... caixões de vidro, esperando pelo sol brilhar

Ela jogou o feitiço dela na Terra e toda a emoção morreu
O coração lânguido dela neutralizou os céus com o falecimento do amor

Ela cristalizou a Terra com água de seus olhos
Um sol congelado agora está pendurado sobre essa terra morta


The Empty Mirror (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Chasing my own death through life
A future trapped in yesterday
When everything was fresh and bright
Then innocence found its grave

Empty mirror - Soul replacer
Empty mirror - Youth taker

Summer came in rays of light
Overwhelming joy it gave
Blinding all life's pain from sight
Golden days could not be saved

Empty mirror - Soul replacer
Empty mirror - Youth taker

In dark caves, wisdom reigns
Awareness dulls ambition's flame
Like a corpse, in soil laid
Trust and faith long since decayed
Togetherness, broken mess
Devotion sought and found in vain
Blind fatigue, debased intrigue
Love was traded in for pain

A path I followed with blind eyes
Running all this way to find
The terminal of painful truth
Where purity and innocence died, yeah

Empty mirror - Soul replacer
Empty mirror - Youth taker

Dying face of beauty fades before my eyes as you ascend
Sail away with the sun to never feel my touch again
Free once more to roam in hell
This lonely world, a prison cell
Solitude, shares the pain
A secret lover 'til the end

I have lost the will to live
Will it come to pass?
Need the strength to carry on
Must forget the past...

The empty mirror shows no lies
Reflections of another face
Just nothingness is recognized
I'm stranded in a long-lost place

Empty mirror - Soul replacer
Empty mirror - I'm a stranger

Here I stand, all alone
Before a cross, my conscience pleads
Yesterday, a thorn embraced
As the future slowly bleeds
Awaken now, bury the past
Put to rest, no longer grieve
Chase the light, pass the gates
Leave this graveyard of lost dreams

O Espelho Vazio (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Caçando minha própria morte pela vida
Um futuro preso nos dias de ontem
Quando tudo era novo e atrativo
Então a inocência encontrou sua tumba

Espelho vazio – Repositor de alma
Espelho vazio – Tomador da juventude

O verão veio com raios de luz
Alegria contagiante ele deu
Cegando toda a dor da vida em vista
Dias dourados não puderam ser salvos

Espelho vazio – Repositor de alma
Espelho vazio – Tomador da juventude

Em cavernas escuras, a sabedoria reina
A consciência neutraliza a chama da ambição
Como um cadáver, deitado no solo
A confiança e a fé já deterioraram há muito tempo
União, uma confusão destruída
Devoção procurada e encontrada em vão
Fadiga cega, intriga sem sentido
O amor foi trocado pela dor

Um atalho que eu segui com olhos cegos
Correndo todo esse caminho para encontrar
A dolorosa verdade terminal
Onde a pureza e a inocência morreram, yeah

Espelho vazio – Repositor de alma
Espelho vazio – Tomador da juventude

O rosto da beleza que morre desaparece diante dos meus olhos enquanto você ascende
Veleje pra longe com o sol para nunca sentir meu toque de novo
Livre mais uma vez para vagar no inferno
Este mundo solitário, uma cela na prisão
Solidão, compartilha a dor
Um amante secreto até o fim

Eu perdi a vontade viver
Será que isso vai passar?
Preciso da força pra seguir adiante
Devo esquecer o passado...

O espelho vazio não mostra mentiras
Reflexos de um outro rosto
Só a insignificância é reconhecida
Eu estou abandonado num lugar há muito tempo perdido

Espelho vazio – Repositor de alma
Espelho vazio – Eu sou um estranho

Aqui estou parado, completamente sozinho
Diante de uma cruz, minha consciência implora
O dia de ontem, um espinho abraçado
Enquanto o futuro lentamente sangra
Despertado agora, enterro o passado
Coloco um fim nisso, chega de desgosto
Caço a luz, atravesso os portões
Deixo esse cemitério de sonhos perdidos


Nocturnal Fist (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Riding this blackened life, this odyssey
Searching for the keys that set you free
From emptiness, futility, mountain of strength you can be
Stop hiding in the void, come ride with me

In the darkest hour, wear your crown of stars
Pain and funeral power strengthens your black heart

Reading through the lines that square you in
Believing in yourself, your only sin
A routine life of sheep in line - Stand out, child! You will shine
In darkness, you alone can be divine

In your darkest hour, you are made of stars
Pain and funeral power strengthens your black heart

Black odyssey - A search to be free
Look for the keys - Come ride with me. Flame on!

See through the lies with funeral insight
Then you will shine, in darkness divine

Raising a fist to nocturnal skies
Slaying through the mist that clouds your eyes
Senses alive - See through their lies
Death routine - Nine to five
Screaming, awake to life as the world dies

Punho Noturno(Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Caminhando nessa vida enegrecida, nesta odisséia
Procurando pelas chaves que te libertam
Do vazio, da futilidade, uma montanha de força você pode ser
Pare de se esconder no vácuo, venha caminhar comigo

Na hora mais difícil, use sua coroa de estrelas
A dor e o poder fúnebre fortalecem seu coração negro

Lendo entre as linhas que te enquadram
Acreditar em você, seu único pecado
Uma vida de rotina como uma ovelha em fila – Se destaque, criança! Você brilhará
Na escuridão, você sozinha pode ser divina

Na sua hora mais difícil, você é feita de estrelas
A dor e o poder fúnebre fortalecem seu coração negro

Odisséia negra – Uma busca para ser livre
Procure pelas chaves – Venha caminhar comigo. Se incendeie!

Veja através das mentiras com introspecção fúnebre
Então você brilhará, na escuridão divina

Levantando um punho para os céus noturnos
Assassinando através da neblina que encobrem seus olhos
Sentidos vivos – Veja através das mentiras deles
Rotina da morte – Das nove as cinco
Gritando, acorde pra vida enquanto o mundo morre


Iconoclast (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Guardians of darkness, set my spirit free
From this land of madness - Give me something to believe
Your system and religion, control me like a disease
Strength and determination - I almost let you bleed…They'll let you bleed

No gods, no masters, no authority
Only yourself
Divine disciples control your destiny
Believe in yourself

Baptism of fire into society
Crucified and brainwashed, told just what to believe
Drowned in holy water to cleanse in purity
Guilty for existing, your mind will never be free…You'll never be free

No gods, no masters, no authority
Only yourself
Divine disciples control your destiny
Believe in yourself

You are strong without god - Everyone is a star
There is no authority but yourself
No gods, no masters - There is no god but man
No gods, no masters - There is no god but man

Man made gods and idols - You think can save man?
If you become suicidal, you're made to believe they can!
Sins for which I'm guilty, I am by my own hand
Forgiveness I’m not seeking - I live by my own command…Your own command

No gods, no masters, no authority
Only yourself
Divine disciples control your destiny
Believe in yourself

No gods, no masters, no authority
Only yourself
Divine disciples control your destiny
Believe in yourself

Iconoclasta (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Guardiões da escuridão, libertem o meu espírito
Dessa terra de loucuras – Me dêem algo para acreditar
Seu sistema e sua religião me controlam como uma doença
Força e determinação – Eu quase faço vocês sangrarem... Eles te deixarão sangrar

Sem deuses, sem mestres, sem autoridades
Só você mesmo
Discípulos divinos controlam seu destino
Acredite em você

Batismo de fogo dentro da sociedade
Crucificado e de mente lavada, dito no que tem que acreditar
Afogado em água benta para ser purificado
Culpado por existir, sua mente nunca será livre... Você nunca será livre

Sem deuses, sem mestres, sem autoridades
Só você mesmo
Discípulos divinos controlam seu destino
Acredite em você

Você é forte sem deus – Todo mundo é uma estrela
Não existe autoridade senão você mesmo
Sem deuses, sem mestres – Não existe outro deus senão o homem
Sem deuses, sem mestres – Não existe outro deus senão o homem

O homem criou deuses e ídolos – Você acha que isso pode salvar o homem?
Se você se tornar um suicida, você acreditou que eles podem!
Pecados pelos quais sou culpado, eu sou pela minha própria mão
Perdão eu não estou buscando – Eu vivo pelo meu próprio comando... Seu próprio comando

Sem deuses, sem mestres, sem autoridades
Só você mesmo
Discípulos divinos controlam seu destino
Acredite em você

Sem deuses, sem mestres, sem autoridades
Só você mesmo
Discípulos divinos controlam seu destino
Acredite em você


Black Robed Avenger (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Black robed avenger rides upon a white horse through my mind
In search of love, he finds a spectral planet lost in space and time

He dreams of paradise
Suspended animation greets his eyes

Across barren deserts, a universal wilderness he seeks
Palaces crumbled, skeletons remain of fallen kings

Bleak storms and hurricanes
He braved to discover love’s atomic grave

He found salvation within a void of loneliness and pride
The land of selfish man became a frozen world in winter's hands

A weary traveler stares into the heart of human kind
Souls of planet earth entombed inside a giant ball of ice

Vingador Vestido De Preto(Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
O vingador vestido de preto anda num cavalo branco pela minha mente
Em busca do amor, ele encontra um planeta espectral perdido no espaço e no tempo

Ele sonha com o paraíso
Animação suspensa saúdam seus olhos

Através de desertos estéreis, uma imensidão universal ele busca
Palácios desmoronados, restos esqueléticos de reis caídos

Tempestades vazias e furacões
Ele desafiou descobrir a tumba atômica do amor

Ele encontrou salvação dentro de um vácuo de solidão e orgulho
A terra do homem egoísta se tornou um mundo congelado nas mãos do inverno

Um viajante exausto olha pra dentro do coração da espécie humana
Almas do planeta Terra sepultadas dentro de uma gigante bola de gelo


Congregation Of Sorcerers (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Right...

Born in the casket of society's decay
On your knees to be rewarded with strife

Born in the casket of society's decay, oohahh!
On your knees to be rewarded with strife
Grim obsession with the afterlife

Unification of the magical ones
Congregation, in the far off skies

Conformist slaves, trapped in earth's cage
Grave acceptance of plastic lies

Conformist slaves, trapped in earth's cage, oohah!
Grave acceptance of plastic lies
In the church of your brains demise

Unification of the magical ones
Congregation, in the far off skies

Eh, hey! Ooh!

Aw!

Bone-made chariot, carry this lost soul
Past the stars beyond lampblack skies

Bone-made chariot, carry this lost soul, hey!
Past the stars beyond lampblack skies
To where the sorcerers of life, we find

Unification of the magical ones
Congregation, in the far off skies

Eh, hey! Oohah!

Congregação De Feiticeiros(Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Certo...

Nascido no esquife da deterioração da sociedade
De joelhos para ser recompensado com conflitos

Nascido no esquife da deterioração da sociedade, oohahh!
De joelhos para ser recompensado com conflitos
Obsessão terrível com a outra vida

Unificação dos que são mágicos
Congregação, nos céus distantes

Escravos conformistas, presos na cela da Terra
Aceitação da tumba de mentiras plásticas

Escravos conformistas, presos na cela da Terra, oohahh!
Aceitação da tumba de mentiras plásticas
Na igreja da morte do seu cérebro

Unificação dos que são mágicos
Congregação, nos céus distantes

Eh, hey! Ooh!

Aw!

Carruagem feita de ossos carrega essa alma perdida
Passa as estrelas de céus negros como carbono

Carruagem feita de ossos carrega essa alma perdida, hey!
Passa as estrelas de céus negros como carbono
Para onde os feiticeiros da vida, nós encontramos

Unificação dos que são mágicos
Congregação, nos céus distantes

Eh, hey! Oohah!


Halo Of Fire (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Land of suffering beneath a rotting sky
Witches are burning, black flags fly
Smouldering pyre of evil empire
Infernal darkness, ghost of mankind
Enemies of god - Skulls stacked high
Sinners, non-believers, liars must die
Crucifixion of Satan's children
On the holy one's day of retribution

Yeah! Oh, yeah - The end of the world draws near
Yeah! Oh, yeah - Good and bad controlled by fear

They're cleansing the world of sin
Ridding the world of evil
By sinister and evil means
Black god of destruction is king

Halo of fire - Burning funeral pyre

Behold - The fiery earth appears broken
Locusts swarm out from the pit now open
Abadon awakens into eternal nothingness
Halo of fire - Crowning his darkness

Halo De Fogo (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Terra de sofrimento debaixo de um céu que apodrece
Bruxas estão queimando, bandeiras negras tremulam
A pira sem fogo do império do mal
Escuridão infernal, fantasma da humanidade
Inimigos de Deus – Crânios espetados nas alturas
Pecadores, descrentes, mentirosos devem morrer
Crucificação das crianças de Satã
No dia sagrado da retribuição

Yeah! Oh, yeah – O fim do mundo se aproxima
Yeah! Oh, yeah – O bom e o mal controlados pelo medo

Eles estão purificando o mundo do pecado
Livrando o mundo do mal
Por meios maldosos e sinistros
O deus negro da destruição é o rei

Halo de fogo – Pira funerária queimando

Olhem – O mundo ardente parece quebrado
Gafanhotos infestam lá do poço agora aberto
Abadon desperta para a eterna insignificância
Halo de fogo – Corando sua escuridão


Texting (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Instrumental

Escrevendo Um Texto(Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Instrumental

Letras Traduzidas - Gargoylian (2001)

Gargoylian (2001)

Lee Dorrian – Vocals

Garry ‘Gaz’ Jennings – Guitar

Leo Smee – Bass Guitar

Brian Dixon – Drums


Gargoylian (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Lyrics were never officially published as of yet.

Garguliano (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
As letras ainda não foram publicadas oficialmente.


Earth In The Grip Of A Skeletal Hand (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Lyrics were never officially published as of yet.

A Terra Apertada Por Uma Mão Esquelética (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
As letras ainda não foram publicadas oficialmente.

Letras Traduzidas - Endtyme (2001)

Endtyme (2001)

Lee Dorrian – Vocals

Garry ‘Gaz’ Jennings – Guitar

Leo Smee – Bass Guitar

Brian Dixon – Drums and Percussion

Guest Musicians:
Russell Haswell – Effects on Whores To Oblivion


Cathedral Flames (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Instrumental

As Chamas Da Cathedral (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Instrumental


Melancholy Emperor (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Oohah!

Blazing ball of fire - Final bang ignites
Fleets of hungry angels feast on earth like flies
Burning soul of karma - Furnace of mankind
Human skull and crossbones - Treasures left behind

Holy Father reaps earth's seed
Sacred mother spreads his disease

Religious inferno - Burial of mind
Mental crucifixion - Love destroyed by lies
Decomposing morals, mummified in time
Lord of retribution, judge us for our crimes

Holy Father, reaps earth's seed
Sacred mother spreads his disease

Master of ceremonies awakens from eternal nyte
For our sins, we pay the price – Society, it's time to die

Yeah...Fuck!

Melancholy emperor - King of our demise
Arises from deep shadows, bearing endtyme scythe
Skull of ancient wisdom, cloaked in a funeral sky
Spreads his wings wide open, engulfs the cosmos wide

Holy Father reaps earth's seed
Sacred mother spreads his disease
Holy Father reaps earth's seed
Sacred mother spreads his disease

Oohahhhhhhhhhh...

Imperador Melancólico (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Oohah!

Bola de fogo incandescente – A explosão final se acende
Frotas de anjos famintos de deliciam na Terra como moscas
Alma ardente do karma – Fornalha da humanidade
Crânios humanos e ossos cruzado – Tesouros deixados pra trás

Santo Pai, ceifa as sementes da Terra
Mãe sagrada espalha a doença dele

Inferno religioso – Enterro da mente
Crucificação mental – O amor destruído por mentiras
Morais em decomposição, mumificadas no tempo
Senhor da retribuição, julgue-nos por nossos crimes

Santo Pai, ceifa as sementes da Terra
Mãe sagrada espalha a doença dele

Mestre de cerimônias desperta da noite eterna
Por nossos pecados, pagamos o preço – Sociedade, é hora de morrer

Yeah... Foda-se!

Imperador melancólico – Rei de nosso epitáfio
Levanta-se das sombras profundas, carregando a foice do fim dos tempos
Crânio da sabedoria antiga, vestido num céu fúnebre
Abre totalmente suas asas, abraça todo o cosmos

Santo Pai, ceifa as sementes da Terra
Mãe sagrada espalha a doença dele
Santo Pai, ceifa as sementes da Terra
Mãe sagrada espalha a doença dele

Oohahhhhhhhhhh...


Requiem For The Sun (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
No! No!

Lifeblood flows down the rivers of sorrow
Love a distant dream we've left behind
Utopic fortunes, we see in tomorrow
Blind illusions as all hope fades and dies

Sleeping forest under shimmering moonlight
Enchantment reigns in your mystical haze
Ghosts of life awake unto twilight
As the living rest in cold empty graves

All that's weary beneath the sun
Fades to darkness now his death has come
Frozen ice cold in naked beauty
Oh, warmth of nocturn, come unto me

Shadows are the sails of night
That soon shall come to hide the light
In sorcery and divine flight
We flock to you to gain our might

Ahhhhhhhhhhhh! Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhh...

I watch the sun fall for the last time
No more visions of its pain to behold
All light has gone forever from my sight
On this heart and vision, falleth the night

All that's weary beneath the sun
Fades to darkness now his death has come
Frozen ice cold in naked beauty
Oh, warmth of nocturn, come unto me

All that's weary beneath the sun
Fades to darkness now his death has come
Frozen ice cold in naked beauty
Oh, warmth of nocturn, come unto me

Réquiem Para O Sol (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Não! Não!

O sangue da vida corre rio da tristeza abaixo
O amor é um sonho distante que deixamos pra trás
Fortunas utópicas, nós vemos no dia de amanhã
Ilusões cegas enquanto toda a esperança desaparece e morre

Floresta adormecida sobe a luz cintilante da lua
O encantamento reina em sua névoa mística
O fantasma da vida desperta ao entardecer
Enquanto os vivos descansam em tumbas firas e vazias

Tudo que se desgasta debaixo do sol
Desaparece na escuridão agora que a morte dele chegou
Congelados na beleza desnuda
Oh, calor noturno, venha para mim

As sombras são as embarcações da noite
Que logo virão pra esconder a luz
Em bruxaria e no vôo divino
Nós nos arrebanhamos para você para ganharmos nosso poder

Ahhhhhhhhhhhh! Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhh...

Eu assisto o sol cair pela última vez
Mais nenhuma visão dessa dor para assistirmos
Toda luz se foi pra sempre de minha vista
Nesse coração e nessa visão, caíra a noite

Tudo que se desgasta debaixo do sol
Desaparece na escuridão agora que a morte dele chegou
Congelados na beleza desnuda
Oh, calor noturno, venha para mim

Tudo que se desgasta debaixo do sol
Desaparece na escuridão agora que a morte dele chegou
Congelados na beleza desnuda
Oh, calor noturno, venha para mim


Whores To Oblivion (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
World is falling before our eyes
We've sold our souls for...empty lies
Indoctrinations circle writhes
In persecuted brainwashed minds

Master of this empty void
Controls your thoughts, all...love destroyed
Hell is worth it for heavens prize
To war & pain desensitized

Whores to oblivion - Rising faster
Death to Utopian - War is Master

Propaganda has bought your mind
An afterlife you fantasize
The social ladder that you have climbed
Reality left long behind

Carry me away with the setting sun
My dream of death has...just begun
Pain of mind - Destruction calls
This seething cage I must break from

Whores to oblivion - Rising faster
Death to utopian - War is master
Whores to oblivion - Breeding faster
Death to Utopian - War is master

Apocalypse is coming today....
Or was it supposed to be yesterday?
The world is falling into its grave
Oh, Lord, have mercy - Can we be saved? Noooooooooooo...

Whores to oblivion - Rising faster
Death to utopian - War is master
Whores to oblivion - Breeding faster
Death to Utopian - War is master

Whores to oblivion - Rising faster
Death to utopian - War is master
Whores to oblivion - Breeding faster
Death to Utopian - War is master

Whores to oblivion (repeat 'til the end)

Prostitutas Do Esquecimento (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
O mundo está caindo diante de nossos olhos
Nós vendemos nossas almas por... mentiras vazias
O círculo da doutrinação prospera
Em mentes lavadas e perseguidas

Mestre desse vácuo vazio
Controla seus pensamentos, todo... amor destruído
O inferno vale o preço do paraíso
Insensibilizado pela dor e pela guerra

Prostitutas do esquecimento – Se levantando mais rápido
Morte para o utópico – A guerra é o mestre

A propaganda comprou sua mente
Uma vida eterna que você fantasiou
A escada social que você subiu
Deixou a realidade perdida bem lá pra trás

Me carregue para longe com o sol que se põe
Meu sonho de morte acabou de... começar
Dor da mente – A destruição chama
Dessa jaula ardente que eu devo fugir

Prostitutas do esquecimento – Se levantando mais rápido
Morte para o utópico – A guerra é o mestre
Prostitutas do esquecimento – Se alimentando mais rápido
Morte para o utópico – A guerra é o mestre

O apocalipse vai chegar hoje...
Ou era pra ter sido ontem?
O mundo está caindo dentro de sua própria tumba
Oh, Senhor, tenha piedade... Será que conseguiremos ser salvos? Nãããããããããoooooooo...

Prostitutas do esquecimento – Se levantando mais rápido
Morte para o utópico – A guerra é o mestre
Prostitutas do esquecimento – Se alimentando mais rápid
Morte para o utópico – A guerra é o mestre

Prostitutas do esquecimento – Se levantando mais rápido
Morte para o utópico – A guerra é o mestre
Prostitutas do esquecimento – Se alimentando mais rápido
Morte para o utópico – A guerra é o mestre

Prostitutas do esquecimento...


Alchemist Of Sorrows (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Alchemist of sorrow

I am Midas in reverse - My gold has turned to lead
All lovers I've forsaken are dancing with the dead
Lust and desire burning in hellfire
Great god below me, my future you have read

Euphoria found its grave with the love you gave
All magic died with my dreams of an autumn bride
Now she's gone away, days are dark eternal
Golden shores become grey 'cos I'm always yours

Alchemist of sorrow

Robed in black behind my back - Death's conscience in control
Slimy green fingers molest deep into my soul
Lost in satire, possessed by nothing higher
From the tallest mountain, I gaze into depths so low

Euphoria found its grave with the love we made
All magic died with my dreams of an autumn bride
Now she's gone away, days are dark eternal
Golden shores become grey 'cos I'm always yours

Alchemist of sorrow

Uah, iu, uah, uah, uah, uah! Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhw!

Soul in blood from me is flooding
Chaos, my eternal goal
Supernatural death is living
Inside this magnetic hole

Ah, ah, ah, ah, ah, ah, ah...

Back to the womb, my future doomed inside this tomb of pain
Before my eyes had opened, your world already insane
Magician of sadness, god of unholy madness
Left the doors wide open to live this torture again

Wanton grief takes the place of eternal peace
Dark and cold memories I forever hold
Summer moments saved under violet oceans
Beneath life's floor, rest my dreams forever more

Alchemist...of sorrow… Alchemist...of sorrow

Alquimista Das Tristezas (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Alquimista da tristeza

Eu sou Midas ao contrário – Meu ouro virou chumbo
Todas as amantes que abandonei estão dançando com os mortos
Luxúria e desejo queimando no fogo do inferno
Grande Deus embaixo de mim, meu futuro você leu

A euforia encontrou sua tumba com o amor que você deu
Toda a magia morreu com os meus sonhos de ter uma noiva de outono
Agora, ela foi embora, dias são negros eternamente
Praias douradas ficaram cinza porque eu serei sempre seu

Alquimista da tristeza

Vestido de preto nas minhas costas – A consciência da morte sob controle
Dedos verdes gosmentos molestam bem lá dentro da minha alma
Perdido na sátira, possuído por nada mais elevado
Da montanha mais alta, eu fico olhando pras profundezas bem lá embaixo

A euforia encontrou sua tumba com o amor que fizemos
Toda a magia morreu com os meus sonhos de ter uma noiva de outono
Agora, ela foi embora, dias são negros eternamente
Praias douradas ficaram cinza porque eu serei sempre seu

Alquimista da tristeza

Uah, iu, uah, uah, uah, uah! Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhw!

O sangue está escorrendo da minha alma
Caos, meu objetivo eterno
A morte sobrenatural está vivendo
Dentro desse buraco magnético

Ah, ah, ah, ah, ah, ah, ah...

De volta ao ventre, meu futuro está condenado dentro dessa tumba de dor
Antes que meu olhos se abram, seu mundo já terá ficado insano
Mágico da mágoa, deus da loucura profana
Deixou as portas escancaradas para viver essa tortura de novo

O desprazer devasso toma o lugar da paz eterna
Memórias escuras e frias que eu pra sempre vou guardar
Momentos de verão salvos debaixo de oceanos violeta
Debaixo do chão da vida, descanse meus sonhos para todo sempre

Alquimista... da tristeza... Alquimista... da tristeza


Ultra Earth (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Bright red mist shrouds the world - Streets in flames
Robots taking control - Human slaves
Auto-mechanical man - Human clone
Technological plan - Just beginning

Withered sun overhangs - Moon on fire
Universe in reverse - Ultra Earth

Clockwork hearts, plastic souls - Breeding fast
Remote control embryo - Manufactured
Cybergod satellite - Looking down
Thought police film your mind - Live transmission

Withered sun overhangs - Moon on fire
Universe in reverse - Ultra Earth

Bright red mist shrouds the Earth - Streets in flames
Robots taking control on man - Human slaves
Auto-mechanic human clone - Manufactured brain
Technology has just began - Connects the master plan

Clockwork hearts, plastic souls - Breeding fast today
Remote control embryo - Destination: Grave
Cybergod satellite - Looking down on Earth
Thought police film your mind - Live transmission...Ends!

See Earth's fate through the mist of a burning pyre
Come with me - The inferno will take us higher...higher...

Ultra Terra (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Neblina vermelha brilhante encobre a Terra – Ruas em chamas
Robôs tomando o controle – Escravos humanos
Homem auto-mecânico – Clone humano
Plano tecnológico – Só está começando

O sol seco está pendurado lá em cima – Lua de fogo
Universo em reverso – Ultra Terra

Corações de relógio, almas de plástico – Crescendo rápido
Embrião do controle remoto – Manufaturado
Satélite ciberdivino – Olhando pra baixo
A policia do pensamento filma sua mente – Transmissão ao vivo

O sol seco está pendurado lá em cima – Lua de fogo
Universo em reverso – Ultra Terra

Neblina vermelha brilhante encobre a Terra – Ruas em chamas
Robôs tomando o controle do homem – Escravos humanos
Clone humano auto-mecânico – Cérebro manufaturado
A tecnologia só começou – Conecta ao plano mestre

Corações de relógio, almas de plástico – Crescendo rápido hoje
Embrião do controle remoto – Destino: Tumba
Satélite ciberdivino – Olhando pra baixo, pra Terra
A policia do pensamento filma sua mente – A transmissão ao vivo... Se encerra!

Veja a sina da Terra através da neblina de uma pira ardendo
Venha comigo – O inferno irá nos deixar mais alto... mais alto


Astral Queen (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
She walks under the moon, into the valley of fire
Astral Queen is dynamite
From this land of madness, she possesses the key

A pyramid shape controls the ocean waves
She sails the seas of celestial grace
Where the blind man wanders, her darkness carries the light

Soul and mind lost in her deep space
Her magic power has a hold…oh, so strange
Blue Queen of cosmic beauty sanctions all the pain
Man’s loveless world has frozen, trapped in her domain, yeah...

Rainha Astral (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Ela anda sob a alua, dentro do vale de fogo
A Rainha Astral é dinamite
Desta terra de tristeza, ela possui a chave

Uma forma piramidal controla as ondas do oceano
Ela veleja os mares da graça celestial
Onde o homem cego perambula, a escuridão dela carrega a luz

Alma e mente perdidas no espaço profundo dela
O poder mágico dela tem uma atração... oh, tão estranha
Rainha azul da beleza cósmica sanciona toda a dor
O mundo sem amor do homem congelou, preso no domínio dela, yeah...


Sea Serpent (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Liquid God takes my soul away
Flying high through a bloodshot sky
Will I fall back down to my water grave?
Walking dead when you leave me dry

Sea serpents surround me
Aqua demons drowning me
Save my soul from this grave
Liquid God, you have made

Inside your church, I worship everyday
Unholy water quenches the thirst
There is no future - I've drank it all away
Before your altar, I accept the curse

Sea serpents surround me
Aqua Demons drowning me

Raise a chalice to his name
Habit your mind, once again

Swim his seas - Limbless and blind
Liquid master, god of wine


As life sips by, faith in you numbs the pain
You control this body and mind
Well, I've drowned my soul in your poisoned reign
Liquid master - I'm forever your slave

Sea serpents surround me
Aqua Demons drowning me

Save My Soul…

Serpente Do Mar (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Deus líquido leve minha alma embora
Voando alto através de um céu manchado de sangue
Será que eu vou cair de volta em minha tumba de água?
Um morto andante quando você me deixar seco

Serpentes do mar me cercam
Demônios aquáticos – Me afundando
Salve minha alma desta tumba
Deus liquido, você o fez

Dentro da sua igreja, eu venero todo dia
Água profana mata a sede
Não tem mais futuro – Eu bebi ele todo
Diante do seu altar, eu aceito a maldição

Serpentes do mar me cercam
Demônios aquáticos – Me afundando

Levante um cálice em seu nome
Habita sua mente, mais uma vez

Nade pelos mares dele – Desmembrado e cego
Mestre líquido, deus do vinho

Enquanto a vida se vai de gole em gole, a fé em você ameniza a dor
Você controla este corpo e essa mente
Bem, eu mergulhei minha alma no seu reino envenenado
Mestre líquido – Eu sou pra sempre seu escravo

Serpentes do mar me cercam
Demônios aquáticos – Me afundando

Salve minha alma...


Templars Arise! (The Return) (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Our 13th century ceremony - A vile & wicked rite
A virgin child we took that night - Her blood for eternal life
Local peasants tortured us - Another daughter sacrificed
With flaming torches in our eyes - Our bodies, they burned alive

500 years of darkness – Entombed, devoid of sight
The crowds came out to mock us on this carnival night
Clowns & dolls of Templars ridicule our sacred cult
The Blind Dead have arisen - So now, your blood be spilt

Rise! Rise! Blind Dead Arise! Rise!

As fireworks light up your sky, your jolly music plays
Beside our monastery ruins, we're rising from the grave
Decomposed monk warriors with swords enter your town
Riding spectral horses – In crimson seas, you drown

Rise! Rise! Rise! Rise!

Os Templários Se Levantam! (O Retorno) (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Nossa cerimônia do 13º século – Um rito vil e perverso
Uma criança virgem nós pegamos aquela noite – O sangue dela para a vida eterna
Os camponeses locais nos torturaram – Mais uma filha sacrificada
Com tochas flamejantes em nossos olhos – Nossos corpos, eles queimaram vivos

500 anos de escuridão – Sepultados, destituídos da visão
As multidões vieram zombar de nós nessa noite de carnaval
Palhaços e bonecos dos Templários ridicularizaram nosso culto sagrado
Os Mortos Cegos se levantaram – Então agora, que seu sangue espirre

Levantem-se! Levantem-se! Mortos Cegos se ergam! Levantem-se!

Enquanto os fogos de artifício iluminam seu céu, sua música alegra toca
Ao lado das ruínas do nosso monastério, nós estamos nos levantando da tumba
Guerreiros monges descompostos com espadas invadem sua cidade
Andando em cavalos espectrais – Em mares escarlates, você se afogam

Levantem-se! Levantem-se! Levantem-se! Levantem-se!


Gargoylian (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Lyrics were never officially published.

Garguliano (Jennings/Dorrian/Dixon/Smee)
Essa letra nunca foi publicada oficialmente.